Yamal: o mistério das crateras explosivas finalmente elucidado?

Em todo o mundo, crateras estão se formando. A ciência tentou encontrar uma resposta para a formação de suas enormes crateras que podem explodir a qualquer momento. É o caso da gigantesca cratera localizada na Sibéria. Apareceu em 2014 com apenas um diâmetro de 4 metros de largura. Hoje são cerca de 70 metros.

A princípio, os cientistas, que tentaram encontrar uma explicação lógica para esse fenômeno, supuseram que eles vinham dos buracos dos testes de mísseis realizados pelo Kremlin.

Posteriormente, a versão mudou. Acredita-se que essas crateras sejam devidas a erupções de metano subterrâneo no degelo do permafrost.

Várias versões foram suportadas sem a menor prova. Hoje, após o monitoramento por satélite desses buracos, uma resposta completamente diferente é apresentada.

Crateras explosivas

O professor Vasily Bogoyavlenski afirma que os buracos são devidos à perfuração de gás natural de Yamal. Ele suspeita que a exploração das reservas de gás natural cria essas enormes crateras instáveis. Pelas imagens de satélite e após longas análises, ele também pôde ver que os buracos estavam se enchendo de água e poderiam explodir a qualquer momento.

A exploração desses gases é necessária para a economia russa. A formação dessas crateras se deve em grande parte, segundo o cientista, à atividade humana. A perfuração intensa provoca uma cadeia de consequências, criando assim essas fendas gigantescas.

As consequências do aparecimento de crateras gigantes

Embora a verdadeira razão das crateras possa ser natural, o homem também participa delas. No entanto, estes não são todos os buracos descobertos, mas apenas alguns lugares. Para as outras crateras, nenhuma explicação foi encontrada ainda. Alguns cientistas afirmam que os outros buracos são devidos ao efeito tecnogênico.

Os cientistas temem as consequências que esses fenômenos ainda inexplicáveis ​​podem causar. As crateras não explodem apenas uma vez e ficam maiores e mais profundas.

Artigos Relacionados

Back to top button