Uma pequena mudança de chip poderia convencer uma gama maior de carros elétricos

Uma pequena mudança de chip poderia convencer uma gama maior de carros elétricos

Melhor tecnologia de bateria n√£o √© a √ļnica maneira de aumentar o alcance de carros el√©tricos, um grande fornecedor de tecnologia automotiva est√° apostando, com um abalo no material do chip, potencialmente desbloqueando um aumento de 6% no alcance. A Bosch planeja iniciar a produ√ß√£o de semicondutores de carboneto de sil√≠cio a partir de 2020, aproveitando a condutividade el√©trica mais eficiente para tornar a eletr√īnica de pot√™ncia em EVs e h√≠bridos menos desperdi√ßados na estrada.

√Č f√°cil simplificar demais o que d√° a um ve√≠culo el√©trico sua faixa geral e assumir que tudo se resume ao tamanho da bateria que voc√™ est√° carregando. Como vimos nos recentes lan√ßamentos de ve√≠culos el√©tricos nos √ļltimos 18 meses, no entanto, h√° muito mais do que apenas a capacidade da bateria: carros com baterias de tamanho semelhante podem ter faixas muito diferentes no mundo real.

O gerenciamento de energia √© um dos elementos mais importantes que contribuem para o alcance e, especificamente, coisas como a efici√™ncia com que a energia armazenada nas baterias √© transferida para os motores. Um dos efeitos colaterais mais prejudiciais desse processo √© o calor. As baterias, os eletr√īnicos respons√°veis ‚Äč‚Äčpelo controle e transfer√™ncia de energia, e os pr√≥prios motores convertem alguma energia em calor, em vez de quil√īmetros percorridos.

S√£o esses eletr√īnicos que atuam como o “centro de comando” do controle de pot√™ncia do ve√≠culo eletrificado que a Bosch est√° de olho. Um novo design de semicondutor de carboneto de sil√≠cio (SiC) possui melhor condutividade el√©trica do que os chips existentes, gra√ßas ao aumento da inclus√£o de √°tomos de carbono em sua fabrica√ß√£o. Isso significa que os eletr√īnicos podem alcan√ßar frequ√™ncias de comuta√ß√£o mais altas e tamb√©m perder menos energia na forma de calor.

De fato, afirma a Bosch, 50% menos energia é desperdiçada como calor. Com o mesmo tamanho de bateria em seu carro elétrico, a empresa diz que você pode ir 6% mais longe. Em um veículo classificado por 250 milhas, por exemplo, isso poderia significar 15 milhas extras de condução, caso a montadora usasse semicondutores de SiC.

Como alternativa para lidar com a ansiedade de alcance, outra possibilidade é cortar custos. Com maior eficiência para brincar, as montadoras poderiam optar por usar baterias menores Рe, portanto, mais baratas -, sem sacrificar o alcance dos modelos anteriores. De qualquer maneira, menos refrigeração seria necessária em geral, ajudando também a diminuir a lista de materiais do carro.

A Bosch est√° no meio da constru√ß√£o de novas instala√ß√Ķes em sua f√°brica de wafer em Dresden, Alemanha, onde aparentemente levar√° catorze semanas para transformar um disco de sil√≠cio tradicional em semicondutores. L√°, ele come√ßar√° a usar discos de 300 mil√≠metros, maiores – e, portanto, mais econ√īmicos – do que os discos de 150 mm e 200 mm usados ‚Äč‚Äčna sua f√°brica de wafer Reutlingen existente. Os produtos SiC, no entanto, ser√£o inicialmente produzidos apenas em Reutlingen – em discos de 150 mm -, mas n√£o apenas para aplica√ß√Ķes automotivas. √Č prov√°vel que as efici√™ncias maiores tamb√©m sejam ben√©ficas para a IoT, cidades inteligentes e muito mais, argumenta a Bosch.

Entretanto, quando podemos esperar que os semicondutores de SiC apareçam nos carros elétricos, ainda não está claro, considerando os prazos tipicamente longos do desenvolvimento de novos veículos. Ainda assim, como a Bosch já é uma fornecedora de montadoras de nível 1 bem posicionada, a SiC está pelo menos bem posicionada para começar a espremer semicondutores de silício comuns nos carros de amanhã.

0 Shares