Um Nintendo Switch pode ser usado para rodar títulos do XBox, um hacker nos traz a prova

Executar Halo, o famoso título do Xbox FPS em um Nintendo Switch, é uma experiência que poucos jogadores teriam pensado. Mas de acordo com o que um hacker que usa o pseudônimo de Voxel9 percebeu, funciona e até bastante bem.

Essa façanha foi possível por explorando uma falha de hardware que está presente no Nintendo Switch, devido ao uso do processador Nvidia Tegra. Essa falha permitiu que o Voxel9 executasse um emulador de Xbox, XQEMU, baseado (ironicamente) em um sistema operacional Linux4Tegra Ubuntu no Switch.

Além disso, o XQEMU não conseguiu detectar os botões Joy-Con do Switch, o hacker também teve que passar por um controle sem fio PS4 para poder jogar Halo no Switch. Em suma, foram implementadas nada menos que 4 tecnologias diferentes de diferentes fabricantes para alcançar este resultado.

Um título do Xbox em um Switch com um controle PS4

Os emuladores são certamente interfaces muito interessantes, como a proeza técnica que o Voxel4 tornou possível. Eles possibilitam tirar o pó de muitos títulos que não são mais suportados pelas novas gerações de consoles. A Nintendo também seguiu esse caminho para reviver alguns de seus títulos NES e SNES no Switch.

Voltando ao Switch rachado, era um bug de hardware da CPU que permitia ao Voxel9 rodar Linux nele e depois rodar o emulador Xbox para jogar Halo usando um controle PS4. No entanto, sendo o emulador XQEMU um programa que consome muitos recursos, o Switch não consegue iniciar o jogo em sua velocidade normal.

Modificações que os fabricantes veriam com muito mau-olhado

Claro, aqui, não há como encorajar ou aprovar tais manipulações e modificações em seu console, especialmente porque isso anulará a garantia do seu console, além de expô-lo a possíveis processos criminais.

Simplesmente, conhecê-lo permitirá vislumbrar perspectivas que os próprios fabricantes podem não considerar, além dos limites do que a tecnologia pode oferecer em si e além dos limites que nos impomos. .



Artigos Relacionados

Back to top button