Um ex-engenheiro da Uber teria atravessado o país em um carro autônomo

Anthony Levandowski chegou às manchetes por suas travessuras, provocando um processo de alto perfil entre Waymo e Uber.

Este ex-engenheiro da Uber voltou às manchetes recentemente ao anunciar o lançamento iminente de seu avançado sistema de assistência ao motorista de caminhão. O conceito é baseado em uma câmera que atua como copiloto e deve aliviar o motorista em viagens longas.

Levandowski está mais do que confiante sobre o futuro deste nível de dispositivo. Para provar sua eficácia, ele viajou para São Francisco e Nova York em um veículo autônomo. Segundo ele, a máquina era totalmente autônoma, pois ele não precisava pegar o volante. Se for verdade, ele teria completado a viagem mais longa em um carro autônomo.

Na realidade, o ex-engenheiro do Uber teria até batido Elon Musk.

Uma viagem muito longa

Claramente, Levandowski não vai parar por nada para provar a eficácia de seu sistema avançado de assistência ao motorista.

Este especialista em veículos autônomos iniciou sua jornada em 26 de outubro na Golden Gate Bridge, em São Francisco. Sua jornada de 3.000 km terminou em Manhattan, na ponte George Washington.

Mesmo que o carro fosse totalmente autônomo, o engenheiro ainda estava sentado no banco do motorista. No entanto, ele afirma que não dirigiu nem pisou nos pedais. Claro, ele ainda fez várias paradas ao longo do caminho.

Levandowski: uma figura controversa

Mesmo que a façanha desse ex-engenheiro da Uber chame atenção, não podemos esquecer que ele é uma figura muito polêmica.

Ele foi de fato acusado de modificar o software de direção autônoma do Google e roubar 14.000 documentos do Uber. Para se defender, invocou o 5ºe emenda.

Para seu novo projeto, Levandowski disse que o sistema funciona muito bem. No entanto, o motorista deve estar sempre vigilante e pronto para assumir o controle a qualquer momento.

Inicialmente, lançará sua solução a um preço único de US$ 4.999 por caminhão.

Artigos Relacionados

Back to top button