Suprema Corte do Nepal ordena que os ISPs restaurem o acesso ao jogo no PUBG

Suprema Corte do Nepal ordena que os ISPs restaurem o acesso ao jogo no PUBG

Dias após o Nepal banir o popular jogo de battle royale, ocorre uma reversão da proibição pela Suprema Corte do país. A decisão seguiu uma petição apresentada por vários advogados que criticaram a proibição do governo. A Suprema Corte do Nepal aponta para a constituição do país e o fato de o PUBG ser simplesmente um jogo.

A Suprema Corte emitiu uma noção de causa do show para os funcionários do governo por trás da proibição do PUBG, de acordo com publicação local. Liberdade de expressão e imprensa são protegidas pela constituição do Nepal – como tal, o governo é obrigado a provar que a proibição é ‘justa, justa e razoável … sábia e lógica’, de acordo com a ordem do tribunal.

Além disso, a Suprema Corte decidiu que a proibição do PUBG não era razoável e pode ter um impacto negativo no direito à liberdade. A proibição foi emitida pelo Tribunal Distrital de Katmandu, mas a nova ordem impede qualquer outra proibição similar de agência governamental com base nesse bloco original.

A proibição em si foi baseada em alegações duvidosas – oficiais do governo declararam que a decisão de bloquear o acesso ao jogo se baseava em reclamações de pais que disseram que seus filhos estavam ignorando as tarefas e os trabalhos de casa. Além disso, as autoridades alegaram que os ‘viciados em PUBG’ estavam exibindo ‘comportamento violento’ como resultado de sua jogabilidade.

A proibição entrou em vigor em 11 de abril e resultou na Autoridade de Telecomunicações do Nepal ordenando que todos os ISPs do país bloqueassem o tráfego de servidores PUBG. A ordem de reversão da Suprema Corte foi emitida em 19 de abril, mas não está claro se o acesso ao jogo foi restaurado no momento.

0 Shares