Spray nasal anti-Alzheimer em breve entrará em teste clínico

Em boa notícia para aqueles com alto risco de contrair a doença de Alzheimer, uma nova vacina em spray nasal está prestes a ser testada. O Brigham and Women’s Hospital Boston iniciará um ensaio clínico da vacina. Este último foi desenvolvido para prevenir e retardar a progressão da doença.

De acordo com Howard Weiner, pesquisador do Ann Romney Center for Neurologic Diseases do hospital e primeiro autor do estudo, este é um passo muito importante no desenvolvimento da vacina. Ele disse que nas últimas duas décadas eles coletaram evidências pré-clínicas que sugerem que a vacina é eficaz e segura.


Um velho sentado em uma cadeira de rodas
Créditos 123RF.com

Weiner explicou que esse spray pode representar um tratamento não tóxico para pacientes com doença de Alzheimer. O produto também pode ser administrado preventivamente para proteger as pessoas em risco.

Como funciona a vacina

De acordo com as explicações dos cientistas, a vacina é administrada ao nível do nariz. Ele vai estimular o sistema imunológico usando uma substância experimental chamada “Protollin”. Esta última já era utilizada em outras vacinas há vários anos.

A protolina pode desencadear a eliminação de placas beta-amilóides. Estes são aglomerados de proteínas encontradas no cérebro que estão ligadas à doença de Alzheimer.

Uma nova arma para derrotar a doença

De acordo com Tanuja Chitnis, professora de neurologia da Brigham, esta vacina explora um novo ramo do sistema imunológico para tratar a doença de Alzheimer. Ele acrescentou que a pesquisa neste campo abriu o caminho para o desenho de tratamentos potenciais para a doença de Alzheimer, mas também para outras doenças neurodegenerativas.

No que diz respeito ao ensaio clínico que está prestes a começar, sabemos que contará com a participação de 16 pessoas com idades compreendidas entre os 60 e os 85 anos. Esses pacientes apresentam os primeiros sintomas da doença. O objetivo dos testes é determinar a segurança da vacina.

Ainda levará tempo e muita pesquisa antes que uma vacina contra a doença de Alzheimer possa ser comercializada. No entanto, esses testes em humanos já representam um progresso bastante significativo.

Artigos Relacionados

Back to top button