Segunda vulnerabilidade da API do Google+ admitida, o desligamento da rede acelerou

Segunda vulnerabilidade da API do Google+ admitida, o desligamento da rede acelerou

O Google+, a antiga rede de mídia social de longa data, está fechando antes do prazo prometido para agosto.

Em outubro, Jornal de Wall Street relataram que uma vulnerabilidade em suas APIs de desenvolvedor permitiu que aplicativos de terceiros obtivessem detalhes pessoais, como data de nascimento, endereço de email e empregador. Posteriormente, o Google anunciou por seus próprios motivos – baixa utilização ou não – que fecharia em 10 meses.

Hoje, o Google comentou mais uma vez sua A palavra-chave blog, dizendo que havia encontrado um bug na API – separado do bug do Diário foi informado sobre fontes – apenas no mês passado. O bug teve um impacto estimado em 52,5 milhões de contas, mas a empresa afirmou estar confiante de que os dados não foram abusados.

A empresa corrigiu a falha de segurança uma semana após sua descoberta. Desde então, também decidiu acelerar o pôr-do-sol das APIs do Google+, resultando na versão para consumidor do desligamento do Google + em abril de 2019.

O Google sempre afirmou que o Google+ para empresas continuaria operando e que os clientes seriam notificados de quem em sua organização é afetado pelo bug.

O Google também deve encerrar o aplicativo de bate-papo do consumidor Allo e a versão herdada do Hangouts em favor de soluções alternativas.

[alert variation=”alert-warning”]Correção: Uma versão anterior deste artigo afirmava que o Google havia admitido apenas o bug revelado em outubro. Pocketnow lamenta o erro.[/alert]

0 Shares