Samsung assina com Verizon para 5G nos Estados Unidos

A Verizon teve que mudar de parceiro para poder distribuir sua rede 5G com mais eficiência. A maior operadora móvel dos Estados Unidos já havia feito parceria com a Huawei, que não é mais bem-vinda no território de Donald Trump. A Samsung então aproveita a chance de entrar na brecha e conquistar o continente norte-americano.

A empresa de telecomunicações oferece atualmente a melhor velocidade de download com a rede de quinta geração do país. A fabricante de equipamentos da Coreia do Sul anuncia seu desejo de ” melhorar a experiência móvel dos clientes » do seu parceiro, substituindo as infra-estruturas que ainda são as utilizadas para a difusão do 3G e 4G.

O líder em telefonia sem fio com sede em Nova Jersey teve a escolha entre vários pretendentes.

A exclusão de empresas chinesas beneficia a Samsung

O governo dos Estados Unidos cortou permanentemente os laços com a ZTE e a Huawei, devido a suspeitas de espionagem. No entanto, as redes móveis dependiam muito dessas empresas chinesas para equipamentos e infraestrutura. Atualmente, as operadoras dos EUA precisam atualizar todo o hardware para poder implementar o 5G como deveria. O despejo de fabricantes do Império Médio permite que a Samsung coloque com vantagem seus peões no mercado.

O contrato assinado com a Verizon vale 6,6 bilhões de dólares, com validade até dezembro de 2025. Essa parceria de longa data é, portanto, um bom negócio para a gigante coreana, cujas vendas desaceleraram em relação ao ano passado.

Nokia e Ericsson também estavam na disputa

Deve-se notar que o caminho não estava todo traçado para a empresa sul-coreana, mesmo que a desqualificação dos chineses tenha aumentado consideravelmente suas chances de se estabelecer na América do Norte. Duas empresas europeias também eram candidatas sérias para concluir este acordo muito suculento: Ericsson e Nokia. O primeiro teve um lucro de 1,85 bilhão de euros em 2019, enquanto o segundo teve um lucro de 1,2 bilhão. Quando sabemos que a Samsung atingiu apenas 578,5 milhões, este acordo é, portanto, uma benção para permitir que ela pegue ações de seus concorrentes.

Por enquanto, a líder mundial ainda continua sendo a Huawei, apesar de vários governos terem seguido o exemplo dos Estados Unidos. No ano passado, 26,2% dos equipamentos de rede do planeta ainda eram fornecidos pela firma do Império Celestial.

Artigos Relacionados

Back to top button