Rússia: o chefe do programa de voos espaciais tripulados morreu (e oficialmente o coronavírus não tem nada a ver com isso)

Roscosmos, o equivalente russo da NASA, anunciou que Yevgeny Mikrin, chefe de seu programa de voos espaciais tripulados e designer-chefe do foguete Energia, morreu em 5 de maio.

Enquanto este negador fazia parte da equipe Roscosmos desde 1981, ele morreu aos 64 anos. E apesar do fato de que Mikrin foi diagnosticado positivo para Sars-CoV-2 algumas semanas atrás, autoridades russas disseram que essa não foi a causa de sua morte.

Dito isto, a Rocket and Space Corporation Energia, a empresa russa mais importante do setor espacial, se recusou a fornecer detalhes sobre como Mikrin poderia ter sido infectado com Sars-CoV-2. A RSC Energia acrescentou que essa informação é pessoal e relacionada ao sigilo médico.

Mikrin foi diagnosticado positivo para coronavírus, mas assintomático

Em 15 de abril, a agência de notícias russa TASS informou que Mikrin havia sido infectado pelo coronavírus. Ele não foi o único a testar positivo na Roscosmos. De fato, 29 outros funcionários da agência também foram declarados portadores do vírus.

Mais tarde, em 28 de abril, Dmitry Rogozin, diretor geral da Roscosmos, postou um tweet informando que a situação estava sob controle e que todas as pessoas infectadas na Roscosmos estavam perfeitamente bem.

Voltando ao caso de Yevgeny Mikrin, apesar de ter testado positivo para Sars-CoV-2, ele não apresentou nenhum sintoma da doença. Além disso, como o atendimento clínico não era necessário, Mikrin ficou em quarentena em casa.

Dito isto, a verdadeira causa da morte de Mikrin permanece incerto. De fato, embora tenha sido oficialmente declarado que Mikrin não morreu de coronavírus, Rogozin disse que “apesar da participação dos melhores médicos e do uso de todos os meios por semanas, Mikrin foi derrotado pela doença”.

Um choque terrível para o setor aeroespacial russo

A morte de Yevgeny Mikrin não foi apenas difícil para seus amigos e parentes, mas também para toda a indústria espacial russa e para a comunidade científica do país.

Além disso, Dmitry Rogozin não pôde deixar de expressar sua dor. Em um comunicado, ele disse que a morte de Mikrin foi “uma perda grave para todos, e o falecido será lembrado para sempre”.

Em comunicado oficial, os funcionários da Roscosmos também fizeram ouvir suas vozes, falando sobre a perda de uma pessoa insubstituível.

Artigos Relacionados

Back to top button