Restos bem preservados de um mamute foram encontrados

Restos de um mamute antigo foram descobertos por um jovem russo chamado Konstantin Tadibe. Os fósseis foram surpreendentemente preservados em um lago congelado na Península de Yamal, no norte da Sibéria, por milhares de anos. O interesse científico desta descoberta é inestimável, pois é uma oportunidade única para aprender mais sobre esses gigantes do Pleistoceno.

Segundo os pesquisadores encarregados do estudo, trata-se de um homem de 15 a 20 anos. Ele teria vivido lá, cerca de 30.000 anos atrás.

O perfil de um mamute mergulhado na sombra

Na época da descoberta, os ossos não estavam em ordem anatômica. Os pesquisadores tiveram que jogar o quebra-cabeça com um esqueleto de cerca de 2m de altura e 3m de largura. Observe que este é o terceiro mamute lanoso encontrado neste local.

Foram necessários cinco dias de trabalho incansável para recuperar noventa por cento do esqueleto. Yakov, irmão do descobridor, e Alexander Tadibe, o pai, foram especialmente agradecidos por sua contribuição durante as operações de campo.

Gelo derretido gera esqueletos de mamute em Yamal

De acordo com Evgenia Khozyainova, do Museu Shemanovsky em Salekhard, todo o achado inclui um pé dianteiro e traseiro bem preservado, tendões, tecidos moles, pedaços de pele e até excrementos. A equipe que vasculhou o local também encontrou, entre outras coisas, um sacro com vértebras adjacentes e uma cauda unida por tendões no local.

A descoberta de ossos de mamute lanoso está se tornando cada vez mais comum na região de Yamal. Isso se deve, em particular, ao aquecimento global, que está derretendo lentamente o gelo no Ártico. No entanto, deve-se reconhecer que descobrir tecidos ainda moles é uma oportunidade bastante excepcional.

Arqueólogos conseguiram coletar quase todo o esqueleto

“Os ossos estavam em uma ordem tão caótica que era impossível adivinhar onde deveriam ser colocados”, disse Andrey Gusev, do Arctic Research Center. Ela destacou que a maneira como eles foram preservados é única. O fato é que a parte de trás da coluna ainda estava conectada por restos de tendões e peles.

Apesar da condição do esqueleto, os arqueólogos russos conseguiram coletá-lo. Muitos órgãos foram recuperados e o animal está quase completamente reconstruído. A acreditar nos rumores, o mamute terá o nome da família que o descobriu, Tadibe.

Artigos Relacionados

Back to top button