Resident Evil originalmente deveria ser lançado no Super Nintendo

A saga Resident EvilBio Hazard sob seu nome original japonês, nasceu no PlayStation em 1996. Mas o que os historiadores provavelmente não sabiam até agora é que a Capcom pretendia lançar seu jogo de terror no Super Nintendo.

Se, em 1992, Sozinho no escuro da Infogrames abriu o caminho quando interessava apenas a um pequeno número de pessoas, Resident Evil terá recebido uma recepção muito mais substancial, tomando assim o caminho claro do horror de sobrevivência 3D.

Se não é impossível que a realização de Frédéric Raynal tenha incentivado a Capcom a retomar a representação em 32 bits, surgiu recentemente que o projeto Resident Evil nasceu na época dos 16 bits, e em particular do Super Nintendo.

Resident Evil deveria ser a sequência espiritual de ‘Sweet Home’ lançado no NES

Aproximar Game Informero chamado Koji Oda, que ingressou na Capcom em 1991 para produzir em especial Super Ghouls ‘n’ Ghosts e The Magical Quest com Mickey Mouseassim revelou ter começado a trabalhar nesta versão antes que o desenvolvimento tomasse um rumo decisivo:

“Sinceramente, sinto que entrei na indústria de jogos no melhor momento. Os jogos geralmente levam de seis meses a um ano no máximo para serem desenvolvidos, então sinto que tenho que participar de muitos projetos diferentes. Não é um fato bem conhecido, mas antes de Resident Evil sair para o PlayStation, eu estava trabalhando nele para o Super Nintendo”.

Na verdade, o projeto deveria dar uma sequência espiritual a doce larum RPG lançado em 1989 no Famicom (o NES no Japão) onde um grupo de pessoas se viu trancado em uma mansão já habitada.

“Isso foi antes do nome Resident Evil ser dado a ele. Seu codinome era literalmente ‘jogo de terror’. No Super Nintendo, estávamos trabalhando com espaço em disco limitado, então não pudemos incluir cenas filmadas. Se tivéssemos chegado ao fim do desenvolvimento do Super Nintendo, tenho certeza que o resultado teria sido consideravelmente diferente. Por exemplo, o jogo foi originalmente programado para acontecer em um lugar que não tinha nada a ver com a realidade, e mais com o Inferno.”

Quick, um demake oficial a 99 euros por cartucho.

Artigos Relacionados

Back to top button