Recriando o processo de formação de diamantes em Urano e Netuno com lasers de raios X e plástico

Não é fácil conseguir diamantes na terra. Essas pedras preciosas são bastante raras, o que tem um impacto direto em seu valor. No entanto, em outros planetas do Sistema Solar, como Urano e Netuno, está chovendo diamantes. Os cientistas acreditam que pressão extrema quem reina sobre estes planetas irá comprimir elementos como hidrogênio e carbono para formar diamantes sólidos. Estes então caem como chuva.

Na Terra, os cientistas descobriram uma maneira de obter diamantes como você pode ver em Urano e Netunoe a matéria-prima utilizada é plástico. Durante a pesquisa, os pesquisadores usaram lasers de alta potência em amostras PET, o material usado para fazer garrafas plásticas. Este processo produz alta temperatura e pressão capaz de formar pequenos diamantessemelhante ao que se encontraria nos dois planetas gigantes.


Netuno
Créditos 123RF.com

O fenômeno da formação de chuvas de diamantes em Urano e Netuno ainda não foi observado diretamente. No entanto, os cientistas anunciaram em 2017 que haviam conseguido recriar o processo no laboratório.

O curso do experimento

Em seu laboratório, os pesquisadores usaram o laser de raios-X mais poderoso do mundo, o LCLS ou Linac Coherent Light Source, em amostras de materiais de hidrocarbonetos. Isso fez com que a temperatura deste último subisse para 6000°C e gerou ondas de choque poderosas com uma pressão de alguns milhões de atmosferas. O resultado foi a formação de “nano-diamantes”.

Para melhores resultados

Os primeiros experimentos mostraram que a formação de diamantes era tecnicamente possível. No entanto, os pesquisadores indicaram que os materiais de hidrocarbonetos originaiscomo poliestireno, não simulou com precisão os elementos presentes dentro dos dois planetas gelados. O oxigênio está realmente presente em grandes quantidades. Os cientistas, portanto, procuraram outros materiais que pudessem incluir oxigênio no experimento.

a material PET acabou por ser escolhido como tema central. O PET tem um bom equilíbrio de carbono, hidrogênio e oxigênio. Os cientistas conduziram o experimento usando duas técnicas de imagem diferentes para verificar a formação de nano-diamantes, mas também para conhecer seu tamanho e taxa de formação. Usando este método, eles descobriram densidades de diamante de até 3,87 g por cm3.

Segundo Dominik Kraus, coautor do estudo, o efeito do oxigênio é acelerar a separação de carbono e hidrogênio, o que favorece a formação de nanodiamantes.

Para os cientistas, este estudo dá peso à hipótese da chuva de diamantes em planetas de gelo gigantes. Também demonstra uma nova técnica potencial para fazer esses pequenos diamantes que podem ser usados ​​em abrasivos industriais.

FONTE: newatlas

Artigos Relacionados

Back to top button