Recém-desenvolvido apaziguador da dor livre de dependência atinge a inflamação

Recém-desenvolvido apaziguador da dor livre de dependência atinge a inflamação

Pesquisadores da Universidade da Virgínia detalharam a descoberta de um potencial novo analgésico que se mostra promissor para oferecer alívio sem o potencial de dependência de medicamentos analgésicos opióides existentes. De acordo com um estudo recentemente publicado, o alívio da dor envolve inibidores da diacilglicerol lipase-beta (DAGL?) Que mostram potencial antiinflamatório e de alívio da dor sem os efeitos colaterais negativos.

Os analg√©sicos, embora sejam uma ferramenta vital para indiv√≠duos que sofrem de problemas agudos e cr√īnicos, continuam sendo um problema para a sociedade em geral. Os anti-inflamat√≥rios n√£o esteroidais (AINEs) comumente dispon√≠veis s√£o frequentemente usados ‚Äč‚Äčpor longos per√≠odos de tempo para problemas cr√īnicos como artrite, mas podem resultar no desenvolvimento de problemas gastrointestinais, aumentando os custos com assist√™ncia m√©dica e as visitas ao hospital.

Al√©m disso, analg√©sicos opi√≥ides mais potentes, geralmente prescritos para tipos graves de dor, t√™m um potencial de depend√™ncia grave. As ramifica√ß√Ķes desse potencial tornaram-se um problema crescente para a sociedade, que enfrenta cada vez mais crimes, quest√Ķes legais, de produtividade e de sa√ļde relacionadas ao v√≠cio em opi√≥ides.

Esses problemas levaram a pesquisa a poss√≠veis alternativas de al√≠vio da dor que n√£o acompanham os mesmos problemas gastrointestinais, hep√°ticos e de depend√™ncia das subst√Ęncias mais usadas. Vimos estudos promissores detalhando novas solu√ß√Ķes, incluindo o veneno de caracol com efeitos incrivelmente poderosos para aliviar a dor.

Juntando-se a esse corpo de pesquisa est√° o novo estudo da Universidade da Virg√≠nia, onde os pesquisadores Ken Hsu e Myungsun Shin identificaram a enzima DAGL? e sua capacidade de “mastigar gordura” mol√©culas. Sinais qu√≠micos que controlam a inflama√ß√£o s√£o produzidos pela atividade dessa enzima, sugerindo uma poss√≠vel via para o al√≠vio da dor.

Hsu desenvolveu moléculas seletivas capazes de inibir a enzima, levando à redução da inflamação semelhante ao efeito de tomar aspirina. Modelos pré-clínicos envolvendo o trabalho indicam que os inibidores não possuem o mesmo potencial de dependência e efeitos colaterais gastrointestinais dos analgésicos existentes.

Verificou-se que os inibidores são eficazes para diferentes tipos de dor, incluindo dor relacionada à neuropatia periférica. O bloqueio da enzima não teve um impacto negativo na imunidade, no entanto, sugerindo o potencial de uso como uma opção de tratamento da dor a longo prazo.

0 Shares