Portland: drones recreativos proibidos de voar ao redor de prédios federais

Após eventos recentes em Portland, Estados Unidos, o Departamento de Segurança Interna (DHS) acaba de solicitar a proibição oficial do uso de drones em torno de prédios federais na cidade. Os edifícios afetados por esta proibição são o Edith Green-Wendell Wyatt Federal Building e o Tribunal Federal. Segundo a Reuters, os drones visados ​​pela proibição são suspeitos de vigiar ilicitamente agentes do governo.

Como lembrete, os protestos em Portland, Oregon, aumentaram desde 12 de julho de 2020, após a decisão de Trump de enviar forças federais para a cidade. A partir de então, os tumultos se concentraram em torno dos dois prédios. As forças de segurança então tiveram dificuldade em controlar a multidão, como evidenciado por vários vídeos online mostrando policiais não identificados usando a força durante a prisão dos ativistas.

Um drone no céu

A proibição permanecerá em vigor até 16 de agosto de 2020 e afetará todos os drones que voam a uma altitude inferior a 305 metros em um raio de 1,85 km ao redor dos dois edifícios.

Dois pesos, duas medidas

Para constar, em junho passado, membros do Congresso solicitaram informações sobre o uso de drones por agências federais para a vigilância de manifestantes em várias cidades americanas. O pedido segue incidentes em maio de 2020, quando um drone de vigilância Predator pertencente à Alfândega e Proteção de Fronteiras circulou manifestantes em Minneapolis.

Os membros do Congresso exigiram então que “cessem toda a vigilância dos americanos envolvidos em protestos pacíficos. »

Hoje, são as próprias forças da ordem que proíbem o uso de drones em torno do Edifício Edith Green-Wendell Wyatt e do Palais de Justice. De acordo com um porta-voz do DHS, os drones podem “ser usados ​​para fornecer informações que permitem que oportunistas violentos contornem policiais, atuem na prática de um crime e coloquem em risco a segurança pública.[…]”.

Tensões que estão longe de se dissipar

De acordo com um porta-voz da Administração Federal de Aviação (FAA), as novas restrições de voo contra drones entraram em vigor em 16 de julho de 2020. O funcionário acrescenta que as novas diretrizes foram implementadas a pedido do Departamento de Segurança Interna.

Deve-se notar também que, de acordo com as regras da FAA, esses dispositivos são proibidos de sobrevoar pessoas e veículos em movimento, à noite ou em alturas superiores a 400 pés. Eles, portanto, já não tinham o direito de voar ao redor dos manifestantes, mas essa restrição não foi respeitada pelas duas partes em conflito.

Inegavelmente, à medida que as eleições presidenciais dos EUA se aproximam, as tensões continuam a aumentar no Oregon. Autoridades locais de Portland chegaram ao ponto de criticar as operações do DHS, assim como o procurador-geral do Oregon, que entrou com uma ação contra agências federais por prisões e detenções injustas.

Artigos Relacionados

Back to top button