PigeonBot é um pássaro robô equipado com penas reais

Pesquisadores da Universidade de Stanford estudaram exatamente como os pássaros podem manter o vôo controlado, alterando o formato de suas asas. Para o estudo, eles inventaram um robô chamado PigeonBot que possui um par de “asas de transformação bio-híbridas”. O robô está sendo usado para testar novos princípios de controle. Um dos aspectos mais interessantes do PigeonBot é que os cientistas equiparam o robô voador com penas de pássaros reais.

Os pesquisadores descobriram que as penas dos pássaros grudam nas penas adjacentes para resistir ao deslizamento em uma direção, usando apenas um recurso em escala de mícron que os pesquisadores descrevem como “velcro direcional”. A equipe diz que isso é algo “novo para a ciência e a tecnologia”. Penas reais podem deslizar, permitindo que a asa mude de forma, mas após um certo ponto, o velcro direcional se engaja para impedir o desenvolvimento de lacunas na superfície da asa.

Os cientistas também observaram que as penas de pássaros reais têm outras vantagens, pois são mais macias, leves, robustas e fáceis de recuperar a forma após um acidente. O PigeonBot conectou as penas reais elasticamente a um par de asas de pássaros robóticas com articulações de punho e dedo que podem ser acionadas individualmente. Em vez de ter asas batendo, o robô usa uma hélice tradicional e uma cauda convencional.

Os pesquisadores descobriram que o rolo do PigeonBot poderia ser controlado apenas com o movimento da articulação do dedo na asa. Eles dizem que essa técnica é inerentemente mais estável do que o rolo aileron usado pelas aeronaves convencionais.

Os pesquisadores acreditam que a descoberta direcional do velcro é uma das descobertas mais importantes de seu estudo. Surpreendentemente, eles não estão buscando nenhum aplicativo adicional e decidiram não patentear a descoberta para que sua descoberta possa beneficiar a sociedade em geral.

Artigos Relacionados

Back to top button