Pesquisadores refutam a teoria predominante sobre o que mantém o DNA unido

Cientistas da Universidade de Tecnologia de Chalmers, na Suécia, refutaram uma teoria predominante sobre o que mantém o DNA unido. A teoria predominante é que o hidrogênio une os dois lados da estrutura do DNA. Os pesquisadores de Chalmers refutaram essa teoria e dizem que a água é a chave para manter o DNA unido.

Os cientistas dizem que a descoberta abre portas para um novo entendimento em pesquisas em medicina e ciências da vida. A equipe diz que sua pesquisa mostra que as moléculas de DNA têm um interior hidrofóbico em um ambiente que é principalmente água. O ambiente ao redor do DNA é hidrofílico.

No entanto, as bases nitrogenadas das moléculas de DNA são hidrofóbicas e afastam a água circundante. Quando as unidades hidrofóbicas são expostas à água, elas se agrupam para minimizar a exposição à água. Os pesquisadores dizem que o papel das ligações de hidrogênio que foi visto como crucial para manter as hélices de DNA unidas tem mais a ver com a classificação dos pares de bases, para que eles se vinculem na sequência correta.

Diz-se que a descoberta é crucial para entender a relação do DNA com o meio ambiente. A equipe diz que acredita que a célula mantém o DNA na solução de água a maior parte do tempo. A equipe afirma que, quando uma célula precisa ler, copiar ou reparar o DNA, expõe o DNA a um ambiente hidrofóbico.

A equipe diz que as células usam uma proteína catalítica para criar o ambiente hidrofóbico e que a proteína é central para todos os reparos de DNA e pode ser a chave para combater doenças. Um exemplo está nas bactérias, que usam uma proteína chamada RecA para reparar o DNA. A equipe acha que seus resultados podem pavimentar o caminho de como esse processo funciona, potencialmente permitindo que o processo seja interrompido, matando as bactérias. A equipe acredita que o avanço também pode levar a novos tratamentos contra o câncer.

Artigos Relacionados

Back to top button