Pesquisadores descobriram uma maneira de tornar a água salgada potável

O acesso à água potável é um grande desafio para a humanidade. Em 2025, estima-se que esse recurso escasso estará ausente por quatorze por cento da população mundial. Irônico, porque a maior parte da superfície do planeta Terra está coberta por ela. O problema é que a água do mar não é consumível como tal, porque é muito salgada e impregnada de impurezas. No entanto, parece que isso não é uma fatalidade.

Uma equipe de pesquisadores que trabalham para a Universidade de Manchester acredita ter encontrado uma solução. Liderados pelo professor Rahul Nair, pesquisadores britânicos conseguiram desenvolver uma técnica que utiliza o grafeno como material de recurso. Um derivado desse novo material será usado para filtrar o sal da água do mar.

Essa nova técnica pode acabar definitivamente com a crise de acesso à água potável.

Possibilidade de aplicação industrial

Por muito tempo, pesquisadores de todo o mundo tentaram encontrar uma alternativa por meio da ciência. Recentemente, as pesquisas sobre essa questão planetária evoluíram muito.

Recentemente, Alain Gachet, um geólogo francês, conseguiu levar água potável para um deserto no Chade, onde a água era muito escassa. A técnica que ele usou é eficaz, mas ainda depende da presença de aquíferos.

A vantagem do método proposto por pesquisadores da Universidade de Manchester é seu potencial de aplicação industrial. As duas matérias-primas para a produção de água potável serão a água do mar e o grafeno. Este último é um material recentemente conhecido pelos cientistas.

Com uma estrutura de rede hexagonal de átomos de carbono, poderia muito bem se tornar o filtro natural por excelência.

Um método inovador

Os cientistas ingleses publicaram os resultados de suas pesquisas em um artigo na revista Nature Nanotechnology. Data de segunda-feira, 3 de abril de 2017. Os pesquisadores explicam que a ideia é tornar a água do mar potável, filtrando-a pela folha de grafeno. A técnica não era excessivamente consumidora de energia. No entanto, ainda havia um obstáculo.

Quando embebida em água por muito tempo, a folha de grafeno pode realmente acabar se expandindo. Ele, mas também as malhas da rede que o constituem. Para remediar isso, a equipe do professor Rahul Nair desenvolveu uma técnica inovadora.

Eles usaram óxido de grafeno e resina de poliepóxido para que a malha pudesse manter sua firmeza, mesmo na água.

Artigos Relacionados

Back to top button