Pais, cuidado com suas AirTags, elas podem ser perigosas para seus filhos

o Air Tags estão disponíveis há pouco menos de uma semana, mas estão fazendo com que muita tinta flua. Bonitos, fáceis de configurar, parecem ter todas as qualidades do mundo, mas também podem ser muito perigosos para as crianças. Tanto que uma cadeia de distribuição australiana até os baniu. Fazemos um balanço.

Os AirTags são os primeiros rastreadores conectados lançados pela Apple e estão disponíveis desde a última sexta-feira. Conseguimos até levá-los em mãos e dar a você nossas primeiras impressões deles.

Relativamente semelhantes a produtos de outras marcas, esses rastreadores foram desenvolvidos para nos ajudar a encontrar facilmente nossos itens perdidos. Assim, é possível colocá-los no bolso de uma carteira, por exemplo, ou até mesmo prendê-los a um par de chaves ou mesmo a uma mala.

AirTags, rastreadores muito práticos

Melhor ainda, as AirTags têm a particularidade de se integrarem totalmente no ecossistema Apple. Para encontrá-los, basta iniciar o aplicativo Locate, um aplicativo que os exibirá em um mapa, que nos permitirá tocá-los e que até poderá exibir uma bússola apontando em sua direção.

E a melhor parte da história é que você nem precisa recarregá-los! Eles são realmente alimentados por uma bateria de botão e, portanto, basta desaparafusar sua base para trocá-la. A autonomia pode chegar em média a um ano com uma bateria, o que deixa muito espaço de manobra.

Sim, mas eis que esta pilha também parece ser perigosa. De qualquer forma, é o que se pode deduzir da decisão tomada pela Officeworks, uma cadeia de lojas australiana.

Um Redditor com um voucher para os pontos de venda desse famoso letreiro foi de fato à loja mais próxima de sua casa na esperança de encontrar AirTags. Mas ao chegar lá, um funcionário da loja revelou a ele que a rede havia tomado a decisão de retirar o rastreador da venda. Um rastreador considerado perigoso.

Uma história de baterias e crianças

Em questão, este famoso botão de bateria muito acessível. Uma bateria de botão que pode ser facilmente desbloqueada de sua caixa por crianças muito curiosas… e ingeridas. E, de fato, quando você inicia uma pesquisa no site pelo termo “AirTags”, o último não retorna nenhum resultado.

O Gizmodo Austrália, por sua vez, queria saber mais e nossos colegas então contataram a ACCC, ou a Comissão Australiana de Concorrência e Consumidores, o regulador da Austrália. Ela confirmou que um arquivo estava em andamento. A marca, por sua vez, esclareceu que não pretendia colocar as AirTags novamente à venda até que a comissão tivesse expressamente dado seu acordo.

Até agora, de qualquer forma, ninguém parece ter sido prejudicado pelas AirTags e nenhuma mídia relata o menor problema sobre essa famosa bateria de botão. Ainda assim, provavelmente será melhor manter as AirTags longe de seus pequenos, ou explicar a eles o quão perigosa pode ser a ingestão de baterias.

Artigos Relacionados

Back to top button