O Samsung Galaxy S7 Active não seria tão à prova d’água quanto o esperado

Samsung lançou um novo telefone no início deste ano que deveria ser resistente a quedas, poeira e água: o Galaxy S7 Ativo. Essa variação não surpreendeu muita gente, é claro, já que a fabricante sul-coreana tem o hábito de lançar um todo ano, ou quase. No entanto, neste caso específico, nem tudo saiu exatamente como planejado e o terminal não passou nos testes do Consumer Reports.

Esse nome não evoca nada em você e é bastante lógico porque essa associação só está presente nos Estados Unidos. No geral, tem as mesmas missões do UFC-Que Choisir e, portanto, representa os interesses dos consumidores.

Revisão de imersão ativa do Galaxy S7

Ele frequentemente realiza testes para determinar se construtores e fabricantes estão cumprindo suas promessas.

O Galaxy S7 Active tem certificação IP68, pelo menos no papel

Como todos sabem, o Galaxy S7 Active possui certificação IP68, entre outras coisas. Se nos referirmos à Wikipedia, isso significa que ela está protegida contra poeira e imersão em água doce. Supõe-se, portanto, que seja capaz de durar meia hora na água, com mais de um metro de profundidade.

A Consumer Reports decidiu realizar vários testes para ter certeza disso. A associação, portanto, mergulhou um Galaxy S7 Active por meia hora em uma bacia bastante especial, uma bacia cuja pressurização era equivalente à encontrada a 1,5 metro de profundidade.

No papel, o terminal deveria ter passado sem um arranhão, mas infelizmente isso não aconteceu. De forma alguma.

Após o tempo previsto, a associação de fato o retirou da piscina e descobriu que ele não respondia mais ao menor pedido. Pior, sua tela simplesmente exibia uma sucessão de linhas verdes e até bolhas se formavam ao nível das objetivas das câmeras localizadas na parte frontal e traseira do aparelho.

Modelos defeituosos de acordo com a Samsung

A Consumer Reports imediatamente pensou que o problema estava no modelo, então eles adquiriram outro Galaxy S7 Active. O terminal passou pelo mesmo teste e… falhou novamente. Se a tela respondeu um pouco melhor que a de seu antecessor ao sair da piscina, o telefone ainda era HS e a associação até encontrou água no slot dedicado ao cartão SIM.

A Samsung, por sua vez, não entende o que poderia ter acontecido. A empresa pensa assim que os dois modelos eram defeituosos. De qualquer forma, uma coisa é certa, a US$ 800 por terminal, o fabricante não tem margem para erros e provavelmente terá que realizar testes adicionais para garantir a resistência do telefone à ‘água’.

E terminamos com o vídeo feito pela associação.

Artigos Relacionados

Back to top button