O problema dos detritos espaciais

Para melhorar o acesso à Internet no mundo, algumas empresas como a SpaceX planejam enviar milhares de satélites ao espaço, em órbita baixa. Satélites que se juntarão a outros dispositivos semelhantes, dispositivos com usos muito diversificados. Graças a essas máquinas que registram imagens aéreas e dados meteorológicos, é possível prever desastres naturais. Eles também contribuem para a otimização dos métodos de comunicação adotados no dia a dia.

Em alguns anos, no entanto, os recursos implantados pela ESA não serão mais suficientes para proteger os satélites do risco de colisões com detritos espaciais. Salienta também que os alertas recebidos sobre este assunto estão em constante aumento.

Um satélite orbitando a Terra

Pelo menos 26.000 fragmentos ao redor da Terra foram identificados no espaço pela NASA, incluindo quase 3.000 satélites ainda operacionais orbitando nosso planeta.

Medidas de prevenção de colisões devem ser melhoradas

Atualmente, a Agência Espacial Européia está trabalhando em tecnologia de ponta que permitirá evitar colisões de forma automatizada. Muitas empresas também adotaram essa abordagem nos últimos anos. Outros simplesmente querem limpar a órbita do nosso planeta.

Algumas soluções incluem um mecanismo de ancoragem magnética, enquanto outras incorporam um sistema de propulsão de iodo. Alguns atores também usam arpões espaciais gigantes.

Os satélites são desviados da trajetória de ameaças potenciais após uma avaliação do risco de colisão por especialistas da ESA. Essa mudança temporária de órbita é executada somente quando o alerta é considerado grave. Todas as semanas, as notificações recebidas chegam às centenas.

Limpe para minimizar os danos

Embora a maioria dos alertas não leve a ações corretivas, a agência intergovernamental reconhece que uma manobra de prevenção continua cara. Os instrumentos movidos são temporariamente desativados.

Quanto às missões realizadas graças a esses dispositivos, elas são encurtadas. Caso contrário, os especialistas encarregados de realizar projetos espaciais perdem um tempo precioso e não conseguem recuperar os dados de que precisam.

Voltando ao relatório da NASA, detritos tão pequenos quanto um grão de sal provavelmente danificam trajes espaciais. Eles são mais de 100.000. Da mesma forma, detritos tão pequenos quanto uma bola de gude podem perfurar naves espaciais. Mais de 500.000 peças desse tamanho orbitam a Terra.

Artigos Relacionados

Back to top button