O Google Cloud Print entrará no cemitério até o final de 2020

Outro morde o pó, mas pelo menos o Google está dando aos usuários um pouco mais de um ano para se prepararem. O Google acaba de “anunciar” que suas instalações do Google Cloud Print não estarão mais em operação a partir de 1º de janeiro de 2021 e incentiva os usuários e desenvolvedores a usar outros meios para imprimir coisas, referindo-se aos recursos de impressão nativos de cada plataforma. No entanto, considerando o que o Cloud Print permitiu que os usuários fizessem, parece quase um passo para trás em 2010.

Apesar da era digital, as pessoas ainda precisam imprimir, seja no PC ou até mesmo no telefone. A instalação de impressoras é sempre uma tarefa árdua, mesmo quando essas impressoras estão prontas para se conectar à Internet. E isso não está contando os que não contam.

O Google introduziu o Google Cloud Print em 2010 para tornar esse processo menos estressante, pelo menos para impressoras “conscientes da nuvem”. Quase parecia futurista, considerando a promessa de imprimir em qualquer lugar a partir de qualquer dispositivo. Inicialmente desenvolvido para o Chrome OS, o Google lançou um aplicativo Android três anos depois para oferecer a mesma conveniência aos dispositivos móveis. Em breve, jogará tudo isso pela janela.

A solução de impressão baseada em nuvem não será mais suportada após 31 de dezembro de 2020. Os usuários devem migrar para instalações de impressão nativas, que o Google possui foi significativamente aprimorado no Chrome OS. Para uma empresa que sai e respira a nuvem, parece quase um passo atrás oferecer uma interface de impressão unificada para todas as plataformas do Google.

O Google não explica direito por que está desativando o Cloud Print, embora seu anúncio diga que está na versão beta desde 2010. Isso parece sugerir software instável ou não utilizado até você lembrar que o Gmail estava na versão beta por quase tanto tempo assim .

Artigos Relacionados

Back to top button