O declínio dos recifes de coral teria o efeito de fazer com que as populações de peixes perdessem suas cores

Há um problema com a Grande Barreira de Corais, de acordo com um novo estudo australiano focado na saúde e nos tipos de corais, bem como nos peixes residentes. De fato, as comunidades de peixes que vivem lá podem se tornar menos coloridas à medida que os oceanos esquentam e os corais branqueiam.

De acordo com o ecologista marinho Chris Hemingson e colegas da James Cook University em um artigo publicado na revista Global Change Biology, é improvável que os recifes do futuro sejam os ecossistemas coloridos que conhecemos. Parece que os recifes estão atualmente em um ponto crítico de transição. Os resultados do estudo mostraram que os eventos de branqueamento de corais mudaram profundamente a composição dos recifes de coral na região. Foi observado que a perda de corais moles e ramificados pode ser um fator provável no desaparecimento de peixes coloridos.


Recife de corais
Créditos 123RF.com

Esse esgotamento de corais complexos em futuros recifes impactados pelas mudanças climáticas pode levar a populações de peixes mais fracas.

A relação entre a diversidade de cores dos peixes e seus habitats

Hemingson e seus colegas analisaram a diversidade de cores encontradas nas comunidades de peixes de recife e a compararam com os tipos de habitats onde esses peixes vivem. Alguns peixes desenvolveram cores vivas para se destacarem e conseguirem atrair um companheiro, enquanto outros apresentam tons neutros para se misturar com o ambiente e se proteger de predadores. Mas, no geral, a coloração desses peixes está naturalmente ligada aos recifes de corais que habitam.

Os cientistas observaram que, à medida que a cobertura de corais estruturalmente complexos aumenta em um recife, aumenta também a diversidade e a gama de cores dos peixes que vivem lá. De qualquer forma, foi isso que Hemingson observou ao observar os pequenos peixes que raramente se aventuram longe de suas casas.

Por outro lado, quando a cobertura de algas e restos de corais mortos aumenta, a diversidade de cores diminui. Esta situação não é um bom presságio para os peixes de recife onde as águas tendem a aquecer.

Os efeitos do branqueamento maciço de corais

Estudos anteriores mostraram que apenas 2% da Grande Barreira de Corais foi poupada de cinco eventos de branqueamento em massa de corais nos últimos 30 anos. O primeiro evento registrado foi em 1998, atingindo com força os recifes ao redor da ilha de Orfeu. Os complexos corais ramificados nesta parte foram particularmente afetados, resultando em uma mudança completa nas comunidades de peixes. Por exemplo, houve um declínio de quase dois terços em peixes amarelos e verdes, como donzelas e gobies de coral verde nas últimas três décadas.

Por outro lado, parece que os corais rochosos que substituíram os corais de ramificação mole são mais resistentes às mudanças climáticas, mas são menos adequados para proteger peixes coloridos de predadores. Portanto, mesmo que a cobertura de corais permaneça alta, a futura população de peixes que a habitará será uma versão bastante sem brilho.

Os cientistas lamentam a situação, mas esperam que sirva como um alerta para estimular as pessoas a tomar medidas drásticas.

FONTE: alerta científico

Artigos Relacionados

Back to top button