Nintendo suspende entrega de jogos, consoles e acessórios para a Rússia

nintendo anunciou a suspensão da entrega de seus jogos, consoles e acessórios ao Rússia. Uma decisão que não parece resultar de uma posição do fabricante sobre o conflito com a Ucrânia, mas de dificuldades logísticas.

Lentamente, a Rússia se vê cada vez mais isolada no cenário internacional com empresas se retirando do mercado local. Em relação ao caso da Nintendo, que mantinha certa distância sobre o assunto até muito recentemente, agora parece cada vez mais complicado continuar fazendo negócios em Moscou.

Depois de adiar para uma data indefinida Advance Wars 1+2: Reinicialização no Switch, e isso por um princípio de jogo que inevitavelmente ecoará as notícias do momento, a Nintendo anunciou que está suspendendo a entrega de todos os seus produtos físicos para a Rússia.

Nintendo suspende suas entregas de videogames para a Rússia… assim como Sony e Microsoft

A fabricante japonesa poderia ter justificado sua decisão por uma sanção imposta à Rússia por sua ofensiva contra seu vizinho ucraniano. A explicação, que continua lógica e que a Nintendo comunicou à Reuters, baseia-se de facto mais num contexto demasiado incerto para permitir a manutenção das distribuições em solo russo.

A decisão da Nintendo de suspender as remessas de produtos para a Rússia é consistente com “para o futuro previsível… devido à considerável volatilidade em torno da logística de envio e distribuição de mercadorias físicas.”

Deve-se lembrar que a eShop russa da Rússia está em manutenção desde a semana passada, após a decisão do serviço de pagamento relevante de recusar o rublo para transações.

O artigo da Reuters indica que, além da Nintendo, a Sony também está freando a entrega de jogos, acessórios e consoles para a Rússia. Informações que tendem a confirmar que Gran Turismo 7, impossível de comprar na PlayStation Store russa, também não seria encontrado nas lojas do país. E se fosse necessário sublinhá-lo, o Xbox também expressou essas suspensões. Em comentários lembrados pelo VGC, o presidente e vice-presidente da Microsoft Brad Smith, no entanto, se posicionou sobre a questão:

“Como o resto do mundo, estamos horrorizados, furiosos e entristecidos pelas imagens e notícias vindas da guerra na Ucrânia e condenamos essa invasão injustificada, não provocada e ilegal da Rússia”.

Fonte: Reuters

Artigos Relacionados

Back to top button