Nave espacial Voyager lança luz na borda do sistema solar

Nave espacial Voyager lança luz na borda do sistema solar

A NASA estuda o sistema solar e descobriu que, nos limites do sistema solar, a pressão é alta. A pressão na região é a força que o plasma, os campos magnéticos e as partículas como íons, raios cósmicos e elétrons exercem um sobre o outro quando colidem. Esta força foi encontrada acima do esperado pelos cientistas da NASA.

A equipe usou observações dos raios cósmicos galácticos, que são partículas altamente energéticas na região externa do sistema solar que foram feitas pela sonda Voyager. Usando esses dados, os cientistas calcularam a pressão total de partículas na região externa do sistema solar, chamada de heliosheath. É difícil estudar essa região devido à grande distância da Terra.

O que tornou possível o estudo detalhado foi o posicionamento da sonda Voyager e o momento conveniente de um evento solar. Os cientistas usaram medições da Voyager 1, que estava fora da heliosfera e no espaço interestelar. Também foram realizadas medições da Voyager 2, ainda dentro da heliosheath.

O evento solar que contribuiu para a medição foi chamado de evento de interação global mesclada que criou uma onda gigante de plasma. A equipe diz que o Voyager 2 detectou uma dessas ondas e observou que o número de ondas galácticas diminuiu temporariamente. Quatro meses depois, a Voyager 1, que estava do outro lado da fronteira do sistema solar no espaço interestelar, viu uma diminuição semelhante.

O conhecimento da distância entre a espaçonave permitiu que os cientistas calculassem a pressão da heliosheath e a velocidade do som. No heliosheath, a velocidade do som é de cerca de 300 quilômetros por segundo, mil vezes mais rápida do que o som se move pelo ar.

0 Shares