NASA preocupada com efeitos do espaço na coluna dos astronautas

A viagem espacial é o sonho de muitas pessoas. Graças a empresas como a SpaceX, o turismo espacial em breve se tornará uma realidade. No entanto, não se deve esquecer que uma permanência prolongada no espaço não é isenta de consequências para o corpo humano. Por exemplo, estudos revelaram que as viagens espaciais podem, a longo prazo, modificar os cérebros dos astronautas.

Recentemente, a NASA levantou preocupações sobre os efeitos do espaço na coluna vertebral dos astronautas. Segundo pesquisadores da agência espacial norte-americana, passar longos períodos na microgravidade do espaço pode danificar essa parte do corpo. Sem a pressão descendente da gravidade que temos na Terra, seus tecidos ósseos perdem densidade ao longo do tempo.

Créditos Pixabay

Para a NASA, é importante encontrar uma maneira de enviar astronautas ao espaço sem colocar em risco a saúde de sua coluna.

A pesquisa está em andamento

Ashley Weaver, engenheira biomédica da Wake Forest University, na Carolina do Norte, enfatizou a importância de preservar a coluna vertebral dos astronautas.

“A saúde da coluna é essencial para o controle da postura e facilita os movimentos do tronco que são necessários para as atividades da missão” ela explica em um comunicado de imprensa da NASA.

Atualmente, a agência espacial norte-americana está realizando pesquisas para encontrar soluções que garantam a saúde da coluna vertebral dos astronautas. Os pesquisadores estão particularmente focados nas mudanças na massa óssea e muscular em astronautas que passaram muito tempo no espaço.

“É importante que entendamos como as mudanças musculares são influenciadas pela exposição a longo prazo à microgravidade”, enfatiza Ashley Weaver.

Efeitos surpreendentes

Em 2016, uma equipe de pesquisadores descobriu que os músculos que sustentam a coluna vertebral dos astronautas enfraquecem sob o efeito da microgravidade. Na maioria dos casos, isso resultou em dor nas costas. Os efeitos das viagens espaciais também podem ser muito surpreendentes.

Por exemplo, em 2018, um astronauta japonês chamado Norishige Kanai revelou que sua altura aumentou depois de passar três semanas no espaço. No Twitter, ele indicou que ganhou 9 cm após sua permanência no espaço.

Por sua vez, a equipe liderada por Ashley Weaver está estudando os scanners de nove astronautas que passaram mais de seis meses no espaço. Esses pesquisadores esperam aprender mais sobre as mudanças que ocorrem nos músculos e ossos dos astronautas quando estão no espaço.

Artigos Relacionados

Back to top button