NASA fotografou uma cratera engraçada em Marte

o NASA colocada Marchar no topo de sua lista de prioridades. Nas últimas décadas, a agência espacial americana enviou inúmeras sondas e rovers ao local para estudar o planeta vermelho. Um desses dispositivos acaba de fazer uma nova descoberta.

Quando a NASA começou a se interessar pelo planeta vermelho, rapidamente percebeu que precisaria de um máximo de dados para poder entendê-lo.

Cratera de Marte

Em 2005, portanto, enviou uma sonda em órbita ao redor de Marte, uma sonda cujo único objetivo era mapear o planeta.

Marte foi visitado por um asteróide

MRO, para Mars Reconnaissance Orbiter, colocou-se em órbita marciana em março de 2006 e, em seguida, implantou todos os seus instrumentos.

Entre esses instrumentos está a HiRISE, uma câmera composta por um enorme telescópio de 50 centímetros de diâmetro e distância focal de 12 metros. Enorme, este último é capaz de atingir uma resolução terrestre de 30 centímetros para uma altitude de trezentos quilômetros.

Para não estragar nada, a HiRISE também incorpora nada menos que 14 sensores CCD de 2048 x 128 pixels. Por que tantos sensores? Simplesmente para poder capturar fotos em diferentes faixas de cores e, assim, oferecer o mais alto nível de detalhe possível.

Esta incrível câmera nos permitiu aprender muito sobre a topografia de Marte e continua a nos fornecer detalhes valiosos sobre ela.

No entanto, no início deste mês, a HiRISE conseguiu imortalizar uma das últimas crateras a aparecer na superfície do planeta vermelho. A foto, tirada em abril, foi divulgada em 6 de junho e apresenta uma enorme mancha preta e azul no meio de uma área coberta de poeira vermelha. Uma poeira que geralmente é encontrada em todas as vistas do planeta.

Um lembrete dos perigos enfrentados pelos primeiros colonos

A NASA não conseguiu datar com precisão essa cratera, mas a agência acredita que ela apareceu entre setembro de 2016 e fevereiro de 2019. Sem surpresa, foi causada pela queda repentina de um meteorito no Planeta Vermelho. Observando cuidadosamente a imagem, também é possível distinguir os contornos brilhantes do objeto no centro da cratera.

Ainda segundo os cálculos da agência, o objeto responsável pelo aparecimento desta cratera mede cerca de 1,5 metro de largura. Se tivesse atingido a Terra, naturalmente teria se desintegrado em sua atmosfera, mas Marte é um planeta muito diferente do nosso e está menos protegido desse tipo de corpo.

Se o espetáculo é intrigante, esta cratera acima de tudo nos lembra dos perigos que os primeiros colonos correrão para fixar residência em Marte. Tal objeto teria, de fato, sido capaz de danificar nossas infraestruturas.

Mais uma prova de que viajar para Marte claramente não será fácil.

Artigos Relacionados

Back to top button