NASA concluiu a construção do palco principal do foguete que nos levará de volta à Lua

Na segunda-feira, 9 de dezembro, o diretor da NASA anunciou que a agência havia concluído a construção do que será o palco principal do foguete que permitirá o retorno dos astronautas americanos à Lua. Segundo o diretor, a missão acontecerá em 2024, apesar dos atrasos.

O palco principal do SLS ou Space Launch System é o estágio de foguete mais alto que a NASA construiu desde os estágios do foguete Saturn V durante as missões Apollo. Ele mede 65 metros e também é o mais poderoso, pois foi projetado para atingir uma velocidade de Mach 23 antes da separação com o estágio superior e a cápsula Orion.

No entanto, o desenvolvimento do SLS foi afetado por inúmeros atrasos e derrapagens de custos. O primeiro voo foi de fato programado para novembro de 2018, e o custo de construção subiu de 6,2 bilhões de dólares para 8 bilhões de dólares, conforme indicado por um relatório de auditoria publicado em junho.

O diretor da NASA, Jim Bridenstine, no entanto, disse que a agência está dando grandes passos para completar com sucesso a missão Artemis 3, que verá a primeira mulher e o próximo homem na Lua em 2024.

planos da NASA

De acordo com o relatório de auditoria, a missão Artemis 1 provavelmente decolará em junho de 2020 e ainda não transportará passageiros. Em missões subsequentes, a NASA planeja pousar no pólo sul da Lua para poder explorar a água na forma de gelo que foi descoberta lá em 2009.

Essa água será usada para a sobrevivência dos astronautas, mas também será uma fonte de oxigênio e hidrogênio que são usados ​​como combustível.

Para a NASA, retornar à Lua é um campo de testes antes de embarcar em uma missão a Marte na década de 2030.

Despesas enormes

O desenvolvimento do SLS custou muito mais do que o inicialmente previsto, mas essa não é a única despesa que aumentou. Até agora, a NASA gastou quase 34 bilhões de dólares no SLS, na cápsula Orion e no Programa de Sistemas Terrestres de Exploração. Espera-se que esse montante ainda ultrapasse US$ 50 bilhões até 2024.

O futuro da missão da NASA depende do apoio contínuo do Congresso e da Casa Branca, responsáveis ​​pelas alocações orçamentárias. Vamos torcer para que não haja problemas deste lado para que o programa Artemis possa seguir seu curso e trazer humanos de volta à Lua.

Artigos Relacionados

Back to top button