Museus virtuais levam a arte ao próximo nível

Já pensou em fazer um tour em um museu sem ir lá fisicamente? Claro, pode parecer um pouco doido, mas a realidade é que agora você pode passeios virtuais de museus e galerias de arte via Realidade Virtual. Os curadores estão adotando cada vez mais essa tecnologia imersiva para levar as pessoas a passeios tridimensionais em museus.

Originalmente, a VR era usada apenas na indústria de jogos. A tecnologia imersiva não é mais apenas uma forma de videogame agora. O casamento de arte e tecnologia abriu o caminho para o surgimento de museu de realidade virtual alguns anos atrás. Hoje, muitos museus estão usando a realidade virtual para criar novas experiências para os entusiastas da arte. Os amantes e curadores de arte de todo o mundo já estão adotando a idéia de Museu VR.

Museus de realidade virtual criam uma experiência de próximo nível

A RV percorreu um longo caminho para se tornar onipresente na sociedade. Já cruzou os estágios iniciais. Essa tecnologia está remodelando o mundo. Museus e artistas estão usando VR para levar a arte para o próximo nível. Eles estão criando interativos e experiências imersivas para o seu público.

Pense em usar Fone de ouvido VR e ferramentas como Oculus Rift, Google Tilt Brush e Facebook 360 para mergulhar os usuários em um ambiente de arte tridimensional. O ambiente simulado em 3D cria vida real, experiências de realidade virtual para usuários. A boa notícia é que nem sempre é necessário que o público esteja fisicamente presente no museu ou na galeria. Na maioria das vezes, eles podem ver suas obras de arte favoritas usando ferramentas como uma Fone de ouvido VR de qualquer lugar do mundo.

Os museus não costumavam funcionar dessa maneira. Houve um tempo em que as pessoas eram obrigadas a ir fisicamente aos museus, ficar nas filas das entradas e caminhar pelas salas e corredores para explorar as obras de arte. A realidade virtual agora está tornando essa prática obsoleta. Os amantes da arte acham conveniente explorar suas obras de arte favoritas em suas salas de estar.

Somente nos últimos dois anos, os curadores de museus reconheceram a importância de VR e AR tecnologia. Muitos museus já adotaram a tecnologia por sua capacidade de imergir seu público na arte. Os curadores de arte agora estão usando VR para atrair usuários passeios online aos seus museus.

E funcionou bem, oferecendo resultados surpreendentes. Eles não apenas viram um aumento no número de seus públicos, mas também maior satisfação do cliente.

Casos em questão

Veja o caso da Art Basel, que trabalhou com o Google para um projeto de arte em Hong Kong. Eles se uniram a artistas de destaque, incluindo Yang Yongliang, Sun Xun e Cao Fei, para criar obras de arte virtuais usando o Tilt Brush. Usando o aplicativo de desenho e pintura em 3D, os artistas foram capazes de criar GIFs imersivos e pequenos.

O Franklin Institute, considerado pioneiro na criação de Experiência VR para o seu público, é outro bom exemplo nesse contexto. O instituto adotou a RV em 2016, quando a tecnologia estava decolando. Eles permitem que as pessoas façam viagens de realidade virtual para as profundezas do mar e do espaço exterior, experimentando a aventura de uma nova maneira.

Depois veio a DSL Collection, que adotou a tecnologia VR, permitindo que as pessoas acessassem suas obras de arte em um ambiente simulado. O Peterson Automotive Museum, com sede em Los Angeles, também experimentou com sucesso a RV em 2017. O museu permite que seu público interaja com o Ford GT40, um carro esportivo clássico americano, em um ambiente simulado.

Em 2018, o Museu Nacional da Finlândia usaram a RV para enviar visitantes de volta no tempo para 1863, onde praticamente exploraram uma pintura de RW Ekman.

A Tate Modern, no Reino Unido, organizou uma exibição hipnotizante de VR, permitindo que os visitantes experimentem o envolvimento total com um modelo 3D de seu estúdio em Paris.

O Auckland War Memorial Museum levou a VR ao próximo nível, permitindo que as pessoas mergulhem em experiências realistas da Primeira Guerra Mundial. Os usuários foram praticamente jogados na zona de guerra, com explosões, tiroteios e gritos ocorrendo e aviões voando acima.

O futuro dos museus virtuais

Então, como é o futuro para o Museu VR? Para muitas pessoas, isso pode parecer intimidador, devido à linguagem técnica e à adoção de aparelhos modernos. Mas museu de realidade virtual não é tão complexo. A idéia é colocar o usuário em um ambiente virtual. Os museus podem optar por tornar a experiência do público interativa ou simplesmente oferecer passeios em vídeo em 360 graus.

Como muitos museus já estão usando com sucesso a tecnologia VR e outros estão seguindo o exemplo, não há dúvida de que a VR está revolucionando a arte. Atualmente, mais e mais empresas em todo o mundo oferecem vários serviços de desenvolvimento de RV e ajudam os museus a criar museu virtual passeios, experiências de exibição interativa e dar vida a cenas históricas.

Muitos museus permitem que as pessoas explorem suas obras de arte virtualmente, de qualquer lugar do mundo. Outros estão usando VR para criar experiências imersivas no local. Você pode optar por ir com uma ou ambas as opções para o seu museu.

A VR agrega valor ao seu serviço, além de tornar a arte mais acessível e acessível. Também permite cobrir uma base de público maior. Hoje, realidade virtual do museu a tecnologia é mais acessível e acessível. Ampla variedade de ferramentas acessíveis com capacidade para VR também estão disponíveis para as pessoas comprarem.

Conclusão

Os museus virtuais estão levando a arte a novos patamares. Eles estão oferecendo algo valioso e único ao artista e ao público. No futuro, vemos novos desenvolvimentos em VR e AR destinados a mudar a maneira como vemos e experimentamos a arte em museus e galerias.

Artigos Relacionados

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Back to top button