Medições do Hubble confirmaram que o universo está se expandindo mais rapidamente

O Telescópio Espacial Hubble tomou novas medidas que confirmaram que o Universo está se expandindo cerca de 9% mais rápido do que o esperado, com base na trajetória vista logo após o big bang. As novas medidas foram publicadas nesta semana e reduzem as chances de as novas medidas serem um acidente de cerca de 1 em 3.000 para 1 em 100.000.

O cientista Adam Riess afirmou que a incompatibilidade tem crescido e agora chegou ao ponto em que é “realmente impossível” descartá-lo por acaso. Riess e sua equipe analisaram a luz de 70 estrelas em nossa galáxia vizinha, a Grande Nuvem de Magalhães, usando um novo método que permitia a captura de imagens rápidas das estrelas.

As estrelas são conhecidas como variáveis ​​cefeidas e brilham e escurecem a taxas previsíveis usadas para medir distâncias intergalácticas. O antigo método de medir as estrelas consumia muito tempo, porque o Hubble só podia observar uma estrela a cada 90 minutos de órbita ao redor da Terra.

Usando o novo método de medição, a equipe pôde observar uma dúzia de cefeidas no mesmo período de tempo. Os novos dados de medição foram usados ​​para fortalecer a base da escada de distância cósmica usada para determinar a distância no Universo e calcular a Constante de Hubble. A constante Hubble é um valor da rapidez com que o cosmos se expande com o tempo.

A medição do Hubble foi combinada com outro conjunto de observações: o Projeto Araucária. Esse projeto fez a medição da distância da Grande Nuvem de Magalhães, observando o escurecimento da luz quando uma estrela passa na frente de seu parceiro em sistemas de estrelas binárias. À medida que as medições se tornaram mais precisas com os novos dados, a constante Hubble permaneceu em desacordo com os valores esperados. Riess diz que não são apenas duas experiências em desacordo, observando que os dois projetos estão medindo algo fundamentalmente diferente.

Artigos Relacionados

Back to top button