Marte: o mistério do metano logo resolvido?

Traços de metano continuam a ser descobertos no planeta Marte. Os pesquisadores da NASA estão visivelmente mais perto de resolver o mistério da presença desse gás.

O metano é uma molécula orgânica também presente na atmosfera da Terra. Sua presença se deve principalmente a organismos vivos. Daí o espanto dos pesquisadores depois de tê-lo detectado em Marte. O rover Curiosity, da Agência Espacial dos EUA, viaja em torno do quarto planeta do Sistema Solar desde 2012. Agora está a mais de 20 quilômetros de seu local de pouso. Durante sua missão de explorar a superfície marciana, o rover detectou repetidamente pequenos traços de metano.


Um dos muitos rovers enviados pela NASA para Marte
Créditos Pixabay

O gás não é necessariamente de origem biológica. Processos geológicos também podem justificar sua presença. No entanto, a fonte biológica excita mais os pesquisadores. Isso alimenta a perspectiva de encontrar vestígios de vida no planeta vermelho.

Há metano em Marte

Após as amostras de solo colhidas pelo drone da NASA, foi necessário confirmar a presença do gás na atmosfera marciana. ExoMars Trace Gas Orbiter (TGO) é uma sonda da Agência Espacial Europeia em órbita ao redor do planeta vermelho. A espaçonave não detectou nenhum traço de metano na atmosfera marciana.

Os pesquisadores acharam isso estranho. O problema não é a diluição do gás na atmosfera. Os instrumentos de medição do TGO são precisos o suficiente para detectar até mesmo as menores amostras de metano. Inevitavelmente, a discrepância de medição colocou em dúvida a presença deste composto químico no ambiente marciano.

Chris Webster, do Jet Propulsion Research Laboratory da NASA, reuniu uma equipe para confirmar a existência de metano em Marte. O grupo coletou dados de alta precisão ao longo de dois dias. O Curiosity colheu amostras dia e noite. Webster e seus colegas então reexaminaram os dados, descartando quaisquer fatores que pudessem distorcer as medições. Agora está estabelecido que há de fato metano na superfície marciana.

A ausência do gás na atmosfera permanece um mistério

Os vestígios de metano detectados pelo Curiosity não foram resultado do acaso. O Sol pode desempenhar um papel no desvio das medições. A equipe de Webster descobriu que o gás na superfície marciana pode flutuar dependendo da hora do dia. O metano permanece na superfície à noite e se dilui durante o dia antes de atingir a atmosfera, de modo que o TGO não pode detectá-lo à distância.

Os pesquisadores agora terão que encontrar o fenômeno que neutraliza o metano, impedindo-o de atingir altura. Observe que a revista científica Astronomy & Astrophysics publicou um artigo detalhando este estudo.

Artigos Relacionados

Back to top button