Magellan, um telescópio gigante para descobrir os velhos segredos do Universo

Magalhães será o maior telescópio do mundo. Isso permitirá que ele faça mais descobertas sobre o Universo e, mais particularmente, no campo da astronomia. Este telescópio foi criado graças à colaboração entre os Estados Unidos, o Brasil e a Coreia. Será equipado com espelhos maciços, bem como óptica adaptativa. O orçamento destinado ao seu projeto é de bilhões de dólares.

Programado para entrar em operação em 2023, o Giant Telescope ou GMT capturará imagens dez vezes mais nítidas do que outros telescópios. Investigadores de todo o mundo poderão assim tirar partido da sua tecnologia para melhor conhecer e compreender o Universo. O doutor Patrick McCarthy disse ao Engadget que a astronomia difere de outras ciências porque visa decifrar os mistérios do espaço.

Espaço

A física, por exemplo, é uma ciência onde os físicos já possuem todas as indicações necessárias sobre as partículas subatômicas a serem buscadas no projeto de um instrumento ou máquina.

Uma superfície coletora de 368 m2

Na quarta-feira, 20 de setembro de 2017, o primeiro dos sete espelhos que compõem o Telescópio Magellan foi transportado do Laboratório de Espelhos Richard F. Caris da Universidade do Arizona para o Observatório Las Campanas, no Chile. É neste observatório que serão montados os sete espelhos para finalizar a construção do GMT.

A área de coleta segmentada deste telescópio será composta por seis espelhos monolíticos de vinte e sete pés de largura. Eles serão ancorados em torno de um espelho central disposto no eixo. Terá oitenta pés de largura e cobrirá uma área de 368 metros quadrados.

GMT esperado em 2024

Dr. Robert Shelton, presidente da GMT Organization, disse que fazer um espelho leva sete anos de trabalho. O vidro borossilicato é fornecido apenas pela empresa japonesa Ohara, que usa uma técnica de construção única envolvendo química proprietária e potes de barro.

Cada espelho terá precisão nanométrica que resistirá à distorção atmosférica, ao contrário dos telescópios atuais. Quando for comissionado, o Magellan examinará primeiro as observações já feitas nas luas e planetas que compõem nosso sistema solar para completar as informações disponíveis.

No entanto, o GMT só manterá seu título de maior telescópio do mundo por muito pouco tempo, uma vez que o Observatório Europeu do Sul já está construindo o Extremely Large Telescope. Este último tem uma superfície coletora de 978 metros e entrará em serviço normalmente em 2024.

Artigos Relacionados

Back to top button