Julian Assange, do WikiLeaks, foi preso

Julian Assange, do WikiLeaks, foi preso

A Polícia Metropolitana do Reino Unido anunciou hoje que prendeu o co-fundador do WikiLeaks, Julian Assange, encerrando um impasse de anos que viu Assange reivindicando asilo com o Equador e se refugiando na embaixada do país em Londres. Assange foi morar na embaixada em 2012 pela primeira vez em uma tentativa de evitar a extradição para a Suécia em um caso de agressão sexual.

Embora esse caso tenha sido arquivado no tempo desde que Assange chegou à embaixada, ele ainda tinha um mandado pendente emitido pelo Tribunal de Magistrados de Westminster por não se render ao tribunal. Além disso, os Estados Unidos também emitiram um mandado de extradição para conspiração para cometer invasão de computadores – não para publicar informações classificadas -, mas ele conseguiu se esquivar desses mandados ao pedir asilo ao Equador. Então, o que mudou depois de todos esses anos?

Como relata a BBC, o presidente do Equador, Lenin Moreno, retirou a oferta de asilo do país depois que ficou claro que Assange ainda estava “envolvido em interferir nos assuntos internos de outros estados”. Moreno apontou para a publicação de documentos do Vaticano em janeiro de 2019 pelo WikiLeaks em sua declaração, observando que o Equador “atingiu seu limite no comportamento de Assange”.

Assim, com a oferta de asilo oficialmente retirada, o Equador trabalhou com a Polícia Metropolitana para permitir que eles entrassem na embaixada e prendessem Assange. A Polícia Metropolitana disse hoje que, além do mandado pendente por não se render ao tribunal, Assange também foi preso em nome dos Estados Unidos.

O Departamento de Justiça dos EUA publicou uma acusação por Assange [PDF] no qual ele é acusado de conspiração para cometer invasão de computadores em relação aos vazamentos de Chelsea Manning em 2010, publicados pelo WikiLeaks. Supondo que ele seja extraditado para os Estados Unidos, Assange pode pegar até cinco anos de prisão.

No momento, Assange está detido em uma delegacia de polícia no centro de Londres e vai comparecer perante o Tribunal de Magistrados de Westminster ainda hoje. Vamos ver o que acontece daqui, mas parece que há uma possibilidade real de Assange ser extraditado para os Estados Unidos para responder por seus supostos crimes. Fique ligado.

0 Shares