Japão se aproxima da meta de lixo eletrônico para fazer medalhas nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Japão se aproxima da meta de lixo eletrônico para fazer medalhas nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

O Japão quase atingiu seu objetivo de coletar lixo eletrônico que será usado para criar as medalhas dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020, anunciaram autoridades. O país anunciou planos para fabricar as medalhas principalmente de metais colhidos de smartphones antigos e outros aparelhos no início de 2017. Em sua atualização mais recente, as autoridades disseram que quase 100% dos metais necessários foram coletados.

Leia: Medalhas olímpicas de Tóquio 2020 serão feitas a partir de dispositivos descartados

Após seu anúncio, o comitê organizador das Olimpíadas e Paraolimpíadas de Tóquio 2020 lançou um programa em abril de 2017 para começar a coletar os materiais reciclados.

As lojas da NTT Docomo começaram a aceitar aparelhos antigos para reciclagem em nome do programa, e estações de coleta foram implementadas em vários locais públicos no Japão.

A resposta foi esmagadora e, apesar das preocupações iniciais com o cronograma, as autoridades dizem que já levantaram quase todo o metal necessário antes dos jogos do próximo ano. De acordo com a publicação local, o programa coletou todo o bronze necessário até junho de 2018, bem como cerca de metade das aproximadamente 67 libras de ouro e cerca de metade das mais de 9.000 libras de prata.

Avançando rapidamente para sua atualização este mês, o comitê revelou que agora atingiu 93,7% e 85,4% de suas metas de ouro e prata, respectivamente. Supondo que a taxa de doações continue nesse ritmo, a organização espera ter recebido todo o metal necessário até o próximo mês.

0 Shares