Interface cérebro-computador do Facebook para permitir que você digite com seus pensamentos

Interface cérebro-computador do Facebook para permitir que você digite com seus pensamentos

H√° alguns anos, o Facebook anunciou que seu laborat√≥rio de pesquisa estava trabalhando em uma interface c√©rebro-computador (BCI) que permitiria aos usu√°rios digitar “simplesmente se imaginando conversando”. N√£o envolve colocar chips dentro do seu c√©rebro para ler seus pensamentos. Em vez disso, criaria um dispositivo vest√≠vel “n√£o invasivo”, como √≥culos de realidade aumentada (AR) que permitem interagir com outras pessoas sem precisar pegar o smartphone e digitar manualmente o texto.

O gigante das redes sociais compartilhou detalhes interessantes sobre o projeto. A interface cérebro-computador acabaria por digitar 100 palavras por minuto diretamente do seu cérebro. Isso é cerca de cinco vezes mais rápido que a velocidade de digitação de uma pessoa comum em um smartphone. O Facebook Reality Labs trabalha com pesquisadores da Universidade da Califórnia, em São Francisco (UCSF). Na terça-feira, os cientistas da UCSF compartilharam suas descobertas na revista.

Os pesquisadores da UCSF estão trabalhando com três pacientes com epilepsia para ajudá-los a falar novamente, detectando sua fala da atividade cerebral em tempo real. Pesquisadores implantaram temporariamente eletrocorticografia de alta densidade (ECoG) no cérebro de pacientes com epilepsia e analisam sua atividade cerebral.

Depois, os pesquisadores fizeram aos pacientes nove perguntas simples, como “Quando voc√™ quer que eu volte para voc√™?” e “Como est√° seu quarto atualmente?” Quando os pacientes responderam a essas perguntas em voz alta, os algoritmos foram capazes de decodificar sua fala diretamente da atividade cerebral em uma tela de computador em tempo real com 76% de precis√£o.

O Facebook reconheceu que a interface cérebro-computador ainda está engatinhando. Levaria anos até que a empresa pudesse criar óculos de realidade aumentada capazes de ler sua mente e permitir que você digite com precisão apenas pensando. A empresa está financiando os esforços da UCSF para ajudar as pessoas com problemas de fala a se comunicarem facilmente.

Nos pr√≥ximos anos, o Facebook quer criar um fone de ouvido que permita que os usu√°rios interajam usando seus pensamentos. Isso permitir√° que os usu√°rios “mantenham contato visual e recuperem informa√ß√Ķes e contextos √ļteis sem nunca perder o ritmo”, disse a empresa em um post no blog.

O Facebook quer que seus fones de ouvido sejam “n√£o invasivos”, por isso investe em tecnologias que podem monitorar sua atividade cerebral de fora do cr√Ęnio usando laser ou fibra √≥tica. A empresa observou que a capacidade de reconhecer at√© um pequeno n√ļmero de comandos imaginados, como ‘home’, ‘delete’ e ‘select’, oferecer√° aos usu√°rios novas maneiras de interagir com dispositivos de AR e VR.

A empresa liderada por Mark Zuckerberg planeja exibir um sistema de protótipo no final deste ano. O Facebook não revelou como mediria a atividade cerebral.

O Facebook n√£o √© a √ļnica empresa que trabalha para conectar seu c√©rebro a computadores. A startup do bilion√°rio Elon Musk, Neuralink, compartilhou no in√≠cio deste m√™s como conectaria seu c√©rebro aos computadores. O Neuralink visa tornar a inser√ß√£o de eletrodos em seu c√©rebro t√£o simples e indolor quanto a cirurgia Lasik. Ele demonstrou a capacidade de transmitir dados do c√©rebro de um rato experimental para um computador.

Somente o tempo dir√° se os consumidores estar√£o confort√°veis ‚Äč‚Äčo suficiente para compartilhar seus pensamentos com o Facebook, que tem um hist√≥rico terr√≠vel quando se trata de privacidade e seguran√ßa do usu√°rio. Na semana passada, a Comiss√£o Federal de Com√©rcio dos EUA aplicou uma multa de US $ 5 bilh√Ķes ao Facebook por n√£o proteger os dados dos usu√°rios e mentir aos usu√°rios que sua tecnologia de reconhecimento facial estava desativada por padr√£o.

As viola√ß√Ķes de dados e os esc√Ęndalos de privacidade mancharam a imagem do Facebook. Al√©m disso, os usu√°rios tornaram-se cada vez mais conscientes sobre a privacidade de suas atividades online. A interface c√©rebro-computador do Facebook (BCI) poderia dar acesso ao que voc√™ pensa, o que seria uma viola√ß√£o grave da privacidade. Ele pode coletar dados sobre seus pensamentos, sonhos, fantasias e muito mais.

A gigante das redes sociais disse que todos os dados cerebrais coletados na Universidade da Calif√≥rnia, em San Francisco, permaneceriam na universidade, embora os funcion√°rios do Facebook fossem l√° para analis√°-los. O Facebook disse em v√°rias ocasi√Ķes que √© muito s√©rio com a privacidade do usu√°rio, mas seu hist√≥rico √© exatamente o oposto do que diz.

0 Shares