Huawei pode ter encontrado uma maneira de contornar a proibição de chips dos EUA

Huawei consideraria construir uma fábrica de chips. Uma opção que deve permitir contornar as medidas que a impedem de obter componentes de seus parceiros americanos.

Como você já sabe, as autoridades dos EUA, por meio do Departamento de Comércio dos EUA, colocaram a Huawei na lista negra em maio de 2019. Eles suspeitam que a empresa chinesa esteja envolvida em práticas que prejudicam a segurança nacional dos Estados Unidos. Essa ação gerou uma série de restrições e proibições que limitam notavelmente a colaboração entre empresas americanas e o fabricante asiático.

Entre as medidas mais notáveis, é possível citar a proibição da Huawei de fornecer processadores da Qualcomm. Também é provável que fique sem processadores Kirin, já que a TSMC, empresa encarregada de fabricá-los, usa tecnologias americanas.

Tendo passado os últimos meses em turbulência, a Huawei poderá em breve sair dessa bagunça por conta própria.

Uma fábrica de processadores em andamento?

O caso da Huawei é um ponto de discórdia entre a China e os Estados Unidos há mais de um ano. No entanto, apesar das declarações oficiais destinadas a encorajar as autoridades americanas a reverter suas decisões, a situação realmente não mudou. Pior ainda, os parceiros de fundição da Huawei foram obrigados a parar de fornecer processadores.

Obviamente, o gigante chinês não pode ficar insensível a esta situação que pode, em última análise, causar-lhe danos irreversíveis. De acordo com o Financial Times, a Huawei está atualmente a preparar a sua própria fábrica de chipsets. Essa infraestrutura seria responsável pela fabricação dos SoCs desenvolvidos internamente pelo seu departamento de P&D. Sua implementação também seria apoiada pelo governo chinês.

Ainda ha um longo caminho a percorrer

Certamente, essa opção poderá um dia permitir que a empresa chinesa saia do abismo, mas o caminho será longo e promete ser cheio de armadilhas, principalmente por entraves técnicos. Conforme afirmado pela Gsmarena, a fábrica inicialmente só poderá fabricar chipsets gravados em 45nm.

Uma mudança para a tecnologia de gravação de 28nm, no entanto, seria planejada para o próximo ano. Para se ter uma ideia do atraso que a Huawei poderá enfrentar, saiba que os atuais processadores topo de gama são gravados em 7nm.

Artigos Relacionados

Back to top button