General Motors faz recall de 69.000 Chevrolet Bolts elétricos por problemas de bateria

Em 2016, a General Motors começou a comercializar um carro citadino elétrico, o Chevrolet Bolt. Nenhum problema em particular foi relatado… até alguns meses atrás. De fato, as baterias instaladas em 5 veículos deste modelo pegaram fogo recentemente.

De acordo com A Associated Press, a General Motors e os investigadores ainda não têm certeza quanto à origem dessas preocupações. No entanto, o relatório dos incêndios relata duas vítimas de inalação de fumaça e a destruição de uma casa. A empresa fez o recall de aproximadamente 69.000 Chevrolet Bolts em todo o mundo.

Reparos de emergência e correções de software será trazido para veículos com soluções de reparo permanentes, disse o engenheiro-chefe da Bolt, Jesse Ortega.

Esses problemas afetam as baterias produzidas entre 2016 e 2019

A General Motors iniciou as investigações sobre os motivos dos incêndios em julho. Após cruzamento das informações, a fabricante acredita que os incêndios sejam atribuíveis a baterias defeituosas, principalmente as instaladas nos Chevrolet Bolts comercializados entre maio de 2016 e maio de 2019.

Essas baterias defeituosas teriam, portanto, sido fabricadas em uma fábrica da LG Chem na Coréia do Sul. Os fabricados após 2019, por outro lado, foram projetados em Michigan em uma nova fábrica da fabricante. Esclarecimentos adicionais, os incêndios aparentemente ocorreram quando as baterias atingiram um Carga completa. O problema, portanto, não se refere às baterias carregadas abaixo desse nível de carga.

Assim, as versões 2020 e 2021 do Chevrolet Bolt, bem como os veículos equipados com baterias produzidas no final de 2019, não estarão sujeitos ao recall.

A General Motors recomenda temporariamente a instalação de software de correção

De acordo com Ortega, a General Motors e seus engenheiros querem descobrir rapidamente a verdadeira causa desses incêndios nas baterias. Eles também esperam desenvolver um sistema permanente de suporte de veículos até o início de 2021.

Enquanto isso, o fabricante lançou um correção de curto prazo que instalará nos 69.000 Chevrolet Bolts recolhidos, dos quais cerca de 51.000 são dos Estados Unidos para precisão. Esse hotfix limitará a capacidade da bateria. É de facto a considerar uma redução de 10% da sua autonomia, o equivalente a 24 milhas de distância percorrida, dependendo da carga perdida e do modelo.

Os proprietários também precisarão configurar manualmente suas baterias para evitar uma recarga completa. Os carros também devem ser estacionados ao ar livre e longe das casas para evitar riscos de incêndio, de acordo com os relatórios.

Artigos Relacionados

Back to top button