Gemini Solar: em breve uma usina solar gigante em Nevada

Há algumas semanas, o projeto Gemini Solar ainda aguardava licença e resultado de uma avaliação baseada na Lei da Água Limpa dos EUA. Na segunda-feira, 11 de maio, o DOI ou Departamento do Interior validou a construção da futura usina solar em Nevada. Até onde sabemos, esta usina, com sua capacidade de 690 megawatts, se tornará a maior usina solar dos Estados Unidos e a oitava maior do mundo.

A empresa que será responsável pela construção da usina Gemini Solar será a Arevia Power, uma empresa com sede na Califórnia administrada por ex-alunos da SunEdison e gerente de investimentos Quinbrook Infrastructure Partners. De acordo com a informação, a Arevia Power incluirá também nos seus planos de construção um sistema de armazenamento de energia com capacidade de 380 megawatts.

Após sua construção, a gigantesca usina de energia solar será gerenciada pela NV Energy. Este último faz parte do conglomerado Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, que ajudará o estado de Nevada a atingir sua meta de energia. O objetivo é utilizar fontes renováveis ​​para produzir 50% da energia utilizada até 2030 e chegar a 100% até 2050.

Fortalecer a economia dos EUA

Este projeto de usina solar gigante não se destina apenas a avançar no campo da energia. É também uma forma da administração dos Estados Unidos fortalecer a economia do país durante este período de combate à propagação do vírus Covid-19. De acordo com um comunicado do oficial do DOI Casey Hammond, a construção desta planta permitirá que os americanos voltem ao trabalho. Isso fortalecerá as comunidades e promoverá o investimento em energia.

Se acreditarmos nos números, a desaceleração da economia dos EUA durante o período de bloqueio é bastante significativa. De fato, no início de abril, a taxa de desemprego atingiu 15%, e ainda mais de acordo com as autoridades. Espera-se que o projeto Gemini Solar crie cerca de 900 empregos na construção, além de outros 1.100 empregos em todo o local.

Um perigo para o meio ambiente?

Embora este projeto seja uma coisa boa do ponto de vista econômico, pode não ser o caso quando se trata de proteção ambiental. A produção de energia a partir da radiação solar é por si só uma forma de preservação do meio ambiente, porém, para o projeto Gemini Solar, a escolha do canteiro de obras tem provocado disputas.

A área de construção, localizada no deserto de Nevada, invade o habitat de espécies ameaçadas ou ameaçadas de extinção, incluindo a tartaruga do deserto e a coruja buraqueira. A administração planeja transportar tartarugas do deserto para outros locais durante a construção e, em seguida, trazê-las de volta ao local quando o trabalho estiver concluído, conforme indicado por um funcionário do Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA.

Na última segunda-feira, 11 de maio, o DOI informou que a construção será concluída em 2022. No entanto, com a política do governo Trump que pode abrir algumas áreas protegidas para produção de energia, os ambientalistas devem reagir com bastante intensidade.

Artigos Relacionados

Back to top button