Fujifilm ressuscita filmes em preto e branco à medida que a geração do milênio passa do digital para o analógico

A Fujifilm está se juntando à Kodak no lento processo de ressuscitar alguns de seus produtos de filmes analógicos. A empresa credita aos consumidores da geração Z e da geração Z o interesse renovado na fotografia analógica, um mercado que antes diminuía quase à erradicação devido ao crescimento do meio digital. A empresa planeja retomar a produção de um filme preto e branco.

Na segunda-feira, a Fujifilm anunciou planos para lançar o produto de filme em preto e branco Neopan 100 Arcos II. Este filme 100 ISO será oferecido nos formatos 120 e 35mm, mas o lançamento acontecerá gradualmente com o filme chegando às prateleiras no Japão primeiro. Com base na demanda que vê, a Fujifilm diz que também apresentará o filme em outros mercados.

A decisão da Fujifilm de ressuscitar seu filme em preto e branco ocorre pouco mais de um ano depois que a empresa anunciou o fim de seus últimos itens de filme e papel fotográfico em preto e branco, destacando o rápido aumento na demanda por fotografia analógica. O filme original do Neopan 100 Acros foi morto em abril de 2018; a versão revivida chegará algum tempo neste outono.

De acordo com a Fujifilm, o filme Neopan 100 Acros II apresentará granulação e nitidez finas, além de “resolução inigualável” e “detalhes excepcionais”. O filme será adequado para uso em vários cenários em diferentes exposições, afirma a empresa.

Quando comparada com o Neopan 100 Acros original, a Fujifilm diz que a nova versão oferece ‘excepcional gradação tridimensional, mesmo em destaques brilhantes’. As notícias seguem o lento retorno da Kodak à fotografia analógica com o relançamento de seu filme Ektachrome, que é uma resposta à crescente demanda por câmeras de filme, e não digitais.

Artigos Relacionados

Back to top button