Facebook reprime conteúdo anti-vacina, mas grupos permanecem

Facebook cracks down on anti-vaccine content, but groups remain

O Facebook respondeu às críticas sobre a “desinformação” relacionada ao anti-vaxxer e à vacinação que existe em sua plataforma. A empresa reduzirá a classificação de páginas e grupos que espalham essas informações imprecisas, embora não as removam de sua plataforma. Além disso, o Facebook planeja rejeitar anúncios anti-vacina, parar de mostrar o conteúdo no Instagram Explore e muito mais.

Uma atenção renovada foi atraída para a plataforma do Facebook, após um relatório detalhado desses grupos privados de anti-vacinação usando a rede social. Esses grupos são, em alguns casos, bastante grandes e completamente isolados de pessoas de fora, permitindo que funcionem como câmaras de eco, onde os indivíduos podem encontrar e espalhar informações errôneas relacionadas às vacinas.

Os críticos pediram ao Facebook para remover esses grupos e páginas, mas o Facebook está adotando uma abordagem menos permanente para o seu problema. Em uma nova versão, o Facebook revelou que não mostrará mais essas páginas e grupos nas previsões ou recomendações de pesquisa e reduzirá sua classificação na pesquisa e no feed de notícias.

Além disso, o Facebook diz que rejeitará qualquer anúncio que inclua informações erradas sobre vacinas e que removeu opções de segmentação de anúncios relacionadas, como ‘controvérsias de vacinas’. O Instagram também está recebendo alguns ajustes, a saber, que não mostrará mais esse conteúdo no Instagram Explore e nas páginas de hashtag.

Por fim, o Facebook diz que também está buscando maneiras de compartilhar dados educacionais relacionados às vacinas com seus usuários. As informações seriam fornecidas aos usuários do Facebook que encontrarem conteúdo que inclua informações desinventivas anti-vaxxer, abordando as reclamações da ‘câmara de eco’ que alguns críticos criticaram a empresa.

0 Shares