Estufas espaciais para resolver a crise alimentar na Terra?

A pesquisa espacial inclui um componente no qual os cientistas depositam esperança: cultura na ausência de peso. O projeto de pesquisa StarLab, iniciado pela Nanoracks, visa resolver permanentemente o problema da fome na Terra. As estufas espaciais poderiam, assim, ser a solução para suas consequências desastrosas. Isso reduziria, em menor grau, os efeitos nocivos das mudanças climáticas.

A Nanoracks quer produzir alimentos resilientes em estufas que orbitam em órbita. Décadas de pesquisa mostraram que o DNA das plantas sofre mutações nas condições extremas do espaço, o que permite explorar novas variedades capazes de crescer em condições áridas.

Além de produtos alimentícios, o grupo quer desenvolver novos tipos de bactérias e micróbios no espaço para estudos mais aprofundados.

Experiências conclusivas

Segundo o StarLab, certos produtos agrícolas podem prosperar em ambientes muito hostis e, assim, resolver a crise alimentar crônica do nosso planeta. A pesquisa será realizada em pequenas instalações de estufas com o objetivo de estabelecer estações autônomas orbitando a Terra nos próximos cinco anos.

A pesquisa chinesa já desenvolveu, desde a década de 1990, mais de 200 variedades de plantas cujo DNA sofreu mutação no espaço. As referidas variedades incluem vegetais, trigo, milho e soja. A partir deles, pesquisadores chineses conseguiram projetar produtos mais férteis e com valores nutricionais mais ricos, apesar de uma possível falta de água ou temperaturas mais altas.

O fim da fome no mundo?

O objetivo desta pesquisa é alcançar a produção de alimentos sustentável e confiável no espaço. Além do impacto positivo dessas plantas na dieta mundial, os cientistas também pretendem desenvolver sistemas que possam fornecer oxigênio, água e comida para futuros exploradores de Marte.

A vantagem das plantas testadas no espaço é que elas são menos propensas a doenças e não requerem tanta água quanto uma planta comum. A evolução genética destas novas variedades resulta da sua exposição à radiação no espaço, bem como da ausência de gravidade.

Seja como for, uma melhor gestão das matérias-primas, com vista a reduzir consideravelmente o desperdício alimentar, resolverá em parte o problema da fome no mundo. Idem para um domínio perfeito da agricultura sustentável.

Artigos Relacionados

Back to top button