Estudo sobre dieta rica em proteínas traz más notícias para pacientes cardíacos

Estudo sobre dieta rica em proteínas traz más notícias para pacientes cardíacos

Um novo estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Washington descobriu que, embora seguir uma dieta rica em proteínas possa trazer excelentes benefícios quando se trata de perda de peso, também há uma grande desvantagem potencial: um aumento do risco de ataques cardíacos. A questão gira em torno da placa arterial, particularmente do tipo instável que pode bloquear as artérias.

Leia: Dietas ricas em proteínas podem ser perigosas para pessoas que tentam perder peso

Embora os protocolos de dieta variem, atualmente √© popular para os m√©dicos recomendar que seus pacientes com excesso de peso sigam uma dieta rica em prote√≠nas e com pouco carboidrato para perder peso. Esta dieta √© tipicamente muito eficaz em causar perda de peso, ajudando a controlar o a√ß√ļcar no sangue e os desejos. No entanto, tamb√©m √© controverso.

Pesquisas relativamente recentes destacaram o dano potencial que essa dieta pode causar aos rins, principalmente em pacientes obesos. A seguir, um novo estudo que tamb√©m levanta quest√Ķes sobre a sa√ļde do cora√ß√£o, a saber, o risco de ataque card√≠aco que pode ser uma conseq√ľ√™ncia de seguir uma dieta rica em prote√≠nas.

Os pesquisadores descobriram que esse tipo de dieta levou a uma maior quantidade de placa nas artérias da dieta, particularmente a placa instável, com maior probabilidade de romper e acabar bloqueando uma artéria. A pesquisa baseia-se em um conjunto de estudos anteriores que vincularam dietas ricas em proteínas a problemas cardíacos em pessoas e animais.

O aumento do ac√ļmulo de placa inst√°vel foi encontrado em camundongos alimentados com uma dieta rica em gorduras e prote√≠nas, em compara√ß√£o com camundongos alimentados com uma dieta rica em gorduras e com poucas prote√≠nas. Quando os ratos receberam 46 por cento de suas calorias di√°rias na forma de prote√≠na, eles desenvolveram cerca de 30 por cento mais placas arteriais, apesar de n√£o ganharem peso como os ratos com alto teor de prote√≠na e baixo teor de prote√≠na.

No centro da quest√£o estava a morte de macr√≥fagos, uma c√©lula imune que normalmente limpa a placa das art√©rias. Os pesquisadores descobriram que a placa em camundongos ricos em prote√≠nas eram ‘cemit√©rios de macr√≥fagos’ com grandes quantidades de c√©lulas imunes mortas. Isso os tornou mais inst√°veis, abrindo caminho para um eventual ataque card√≠aco.

0 Shares