Estudo conclui que está nevando microplásticos no Ártico

Microplásticos, os pequenos pedaços de plástico que cobrem tudo, desde glitter até fibras removidas de produtos maiores, podem ser encontrados misturados na neve em lugares remotos que incluem o Ártico, de acordo com um novo estudo. Os pesquisadores encontraram mais de 10.000 microplásticos por litro de neve no Ártico, um número surpreendente que revela que mesmo os lugares mais remotos da Terra não estão protegidos do problema de plásticos da humanidade.

As amostras de neve foram coletadas nas ilhas Svalbard, bem como em locais na Suíça e na Alemanha. Microplásticos – significando peças de plástico com menos de 5 mm de tamanho – foram encontrados em várias fontes, algumas delas ligadas a pneus de borracha e tinta.

Ao contrário de outras regiões do interior, Svalbard é bastante isolado e quase todo congelado, deixando claro como essa enorme abundância de pedaços de plástico chegou a um local remoto. O estudo indica que o vento pode estar carregando microplásticos, que são atraídos para a atmosfera e depositados na Terra com chuva ou neve.

Muitas das partículas encontradas na neve do Ártico viajaram longas distâncias, inclusive da Ásia e da Europa, contaminando o que se pensava ser um dos lugares mais intactos que restavam na Terra. Não está claro quais efeitos na saúde esses microplásticos transportados pelo ar podem ter nos seres humanos que os inalam.

Embora os microplásticos sejam feitos deliberadamente em alguns casos, como as ‘microesferas’ usadas em alguns produtos cosméticos, muitos são o resultado da degradação de plásticos maiores e danos a itens maiores. Os navios, por exemplo, perdem pequenos pedaços de tinta e verniz quando colidem com o gelo. Redes abandonadas, contêineres perdidos e outros produtos acabam degradando o meio ambiente, aumentando o problema sem solução fácil.

Artigos Relacionados

Back to top button