Este dispositivo 3D coleta registros de células

células animais usar íons para gerar impulsos elétricos. Esses impulsos são então distribuídos entre as diferentes células. A transmissão é fornecida por redes celulares. No entanto, um problema permanece. A maioria das máquinas de hoje são limitadas. Entre outras coisas, eles são menos precisos e obsoletos.


representação de células nervosas

Pesquisadores de a Universidade da Califórnia em San Diego desenvolveu um dispositivo de detecção muito sensível. Este último é capaz de registrar com precisão os sinais elétricos das células. Esta é uma grande inovação. Assim, muitas buscas poderiam ser facilitadas. Diversas áreas, como cardiologia e neurologiaPoderia ser melhorado.

O estudo foi conduzido por Dr. Yue Gu e Professor Sheng Xu. Dr. Gu é um associado de pós-doutorado na Universidade de Yale. Quanto ao professor Xu, ele trabalha no laboratório da UC em San Diego.

Uma grande inovação

A estrutura 3D foi projetada com uma arquitetura “pop-up”“. Baseia-se na técnica de flambagem por compressão. O Prof. Xu desenvolveu esse método em 2015. Ele afirma que essa ideia surgiu de seus estudos de pós-doutorado.

As estruturas “pop-up” 3D são feitas usando uma vasta gama de materiais. No entanto, é necessário que este último sejacompatível com técnicas de microfabricação. Dependendo dos materiais utilizados, as funções da máquina mudam. Ele pode medir a atenuação de ondas eletromagnéticas, detectar vibrações mecânicas, medir a pressão da deformação ou até mesmo detectar sinais elétricos.

O dispositivo é composto por vários sensores. Estes medem a propagação de sinais elétricos. Em alguns casos, os impulsos estudados vêm de células diferentes. Em outros, os sinais elétricos estão dentro de células individuais.

“A técnica de flambagem por compressão aproveita as técnicas convencionais e versáteis de microfabricação de salas limpas para gerar estruturas 3D sofisticadas.”

Professor Xu

Novos horizontes se abrem…

Anteriormente, os cientistas encontravam dificuldades ao tentar gravar sinais elétricos celulares. Na verdade, os resultados não são suficientemente precisos. Os doutores Xu e Gu experimentaram essas abordagens de engenharia com o objetivo de simplificar o trabalho dos pesquisadores. Em última análise, isso levou a desenvolvimento da nova rede de sensores.

O objetivo principal foi explorar a versatilidade da técnica de flambagem por compressão. Essa tecnologia cria um dispositivo para coletar registros intra e intercelulares precisos.

Graças aos materiais semicondutores, as possibilidades de aplicação da técnica são estendidas. Essa descoberta pode ser uma possível solução para os problemas de cardiologistas e neurologistas. Até hoje, esses médicos têm dificuldade em registrar sinais intracelulares. As ferramentas existentes, como o patch-clamp, são ineficientes.

FONTE: PHYS.ORG

Artigos Relacionados

Back to top button