Esta nova e gloriosa imagem celeste do universo fornece raios-X …

Esta nova e gloriosa imagem celeste do universo fornece raios-X ...

Uma nova e impressionante imagem mapeada para o universo oferece detalhes sem precedentes, fornecendo visuais inovadores dos recursos da Via L√°ctea atrav√©s de gigantescos buracos negros √† medida que crescem em gal√°xias distantes. √Č o trabalho manual do telesc√≥pio de raios X da eROSITA a bordo do Spectrum-Roentgen-Gamma (SRG) russo-alem√£o e promete a vis√£o mais profunda do c√©u a partir de seus instrumentos de 360 ‚Äč‚Äčgraus.

O eROSITA foi lan√ßado h√° quase um ano e assumiu a posi√ß√£o no segundo ponto Lagrange do sistema Terra-Sol. √Č equipado com sete m√≥dulos de espelho id√™nticos, que direcionam f√≥tons de raio-X para c√Ęmeras personalizadas. O resultado √© uma vis√£o incrivelmente detalhada do c√©u, embora n√£o necessariamente r√°pida.

De fato, foi apenas em 11 de junho que a eROSITA concluiu sua primeira pesquisa completa. Isso viu cada ponto no c√©u exposto por 150 a 200 segundos, em m√©dia – o telesc√≥pio girando continuamente – embora algumas √°reas tenham visto exposi√ß√Ķes acumuladas no valor de v√°rias horas. No total, foram mais de 165 GB de dados, o que pode n√£o parecer rid√≠culo, mas se torna muito mais um desafio para transferir com efici√™ncia quando voc√™ considera o telesc√≥pio a quase um milh√£o de quil√īmetros da Terra.

Um download diário é entregue ao Instituto Max Planck de Física Extraterrestre, que reuniu essa primeira pesquisa completa em uma incrível imagem colorida.

“O brilho difuso vermelho longe do plano gal√°ctico √© a emiss√£o de g√°s quente nas proximidades do sistema solar (a bolha local)”, explicam os pesquisadores. “Ao longo do pr√≥prio avi√£o, poeira e g√°s absorvem os f√≥tons de raios X de menor energia, de modo que apenas fontes emissoras de alta energia podem ser vistas e sua cor aparece azul na imagem”.

Enquanto isso, no centro, h√° uma pluma de gases mais quentes representada em verde e amarelo. Eles s√£o o resultado de alguns dos eventos mais explosivos do universo, como explos√Ķes de supernovas e, potencialmente, at√© os remanescentes do buraco negro supermassivo que se acredita estar no centro da gal√°xia.

“Perfurando esse meio turbulento e quente e difuso, existem centenas de milhares de fontes de raios-X, que aparecem principalmente na imagem branca e distribu√≠das uniformemente no c√©u”, observam os pesquisadores do Instituto Max Planck. “Entre eles, n√ļcleos gal√°cticos ativos distantes (incluindo alguns emitidos no momento em que o Universo tinha menos de um d√©cimo da idade atual) s√£o vis√≠veis como fontes pontuais, enquanto aglomerados de gal√°xias se revelam como nebulosidades de raios-X estendidas.”

No total, existem cerca de um milh√£o de fontes de raios-X que j√° foram identificadas na imagem. Os cientistas planejam comparar os dados totais do eROSITA com os dados existentes de outros instrumentos que coletam em diferentes comprimentos de onda.

“Essa combina√ß√£o de √°rea e profundidade do c√©u √© transformacional”, explica Kirpal Nandra, chefe do grupo de astrof√≠sica de alta energia do MPE. ‚ÄúJ√° estamos amostrando um volume cosmol√≥gico do universo quente muito maior do que era poss√≠vel antes. Nos pr√≥ximos anos, seremos capazes de sondar ainda mais longe, onde as primeiras estruturas c√≥smicas gigantes e buracos negros supermassivos estavam se formando. ‚ÄĚ

√Ä medida que esse trabalho acontece na Terra, a eROSITA continua sua coleta de dados no espa√ßo. At√© o final do ano, espera-se concluir uma segunda pesquisa total, o que permitir√° que a evolu√ß√£o do universo seja avaliada entre os dois. Ele completar√° sete mapas nos pr√≥ximos tr√™s anos e meio. “A sensibilidade combinada deles ser√° um fator 5 melhor e ser√° usada por astrof√≠sicos e cosm√≥logos por d√©cadas”, diz Rashid Sunyaev, cientista chefe da equipe russa SRG.

0 Shares