ESA Moon Rover pode explorar crateras escuras usando energia a laser

ESA Moon Rover pode explorar crateras escuras usando energia a laser

Um programa da ESA chamado Discovery & Preparation financiou o projeto de um sistema laser que poderia manter um rover alimentado com energia a at√© 15 km de dist√Ęncia de uma espa√ßonave. A ESA acredita que o ve√≠culo espacial movido a laser poderia ser usado para explorar as crateras permanentemente escurecidas nos p√≥los da Lua. Acredita-se que essas crateras permanentemente escuras sejam ricas em gelo de √°gua e outros materiais valiosos.

Encontrar locais onde o gelo da √°gua possa ser colhido √© extremamente importante para a presen√ßa humana a longo prazo na Lua. Dados coletados por outras naves espaciais mostraram que as regi√Ķes permanentemente sombreadas nos p√≥los da Lua s√£o ricas em hidrog√™nio, o que sugere fortemente que o gelo d’√°gua pode ser encontrado l√°. Existe o potencial de que o gelo da √°gua que se acredita estar localizado nas crateras possa ter bilh√Ķes de anos.

Não apenas o gelo da água tem interesse científico, mas também é valioso para os colonos lunares como fonte de água potável, oxigênio e hidrogênio para o combustível de foguetes. Para poder determinar com certeza se há gelo na água, é necessário fazer uma exploração nas crateras. O desafio é que, como as crateras estão permanentemente sombreadas, a energia solar seria impossível.

Os engenheiros da ESA dizem que o padr√£o para esse tipo de situa√ß√£o seria um gerador termoel√©trico de radiois√≥topos baseado em energia nuclear. No entanto, existem problemas com a complexidade, custo e gerenciamento t√©rmico do rover usando um radiois√≥topo. O problema do calor, em particular, coloca problemas ao explorar uma cratera de gelo d’√°gua, pois o calor produzido pelo ve√≠culo espacial pode derreter o gelo.

Os pesquisadores est√£o testando um ve√≠culo espacial de 250 kg que √© alimentado por um laser infravermelho de 500 watts que seria treinado no ve√≠culo m√≥vel ao entrar em regi√Ķes sombrias. Testes foram realizados nas crateras de P√≥lo Sul de Gerlache e Shackleton. O rover seria capaz de converter a luz do laser em energia el√©trica usando uma vers√£o modificada de um painel solar padr√£o com fotodiodos na lateral para mant√™-la travada no laser com precis√£o de escala de cent√≠metros. A equipe descobriu em testes que o ve√≠culo espacial podia suportar 10 graus de inclina√ß√£o, mantendo-o na linha de vis√£o do ve√≠culo espacial. O laser tamb√©m pode ser usado para comunica√ß√Ķes bidirecionais.

0 Shares