Ericsson compra gigante de CPaaS Vonage por US$ 6,2 bilhões

A gigante das telecomunicações sueca, Ericsson, anunciou ontem, através de um comunicado de imprensa publicado em seu site oficial, a aquisição do número 2 do CpaaS Vonage. A transação, segundo a mesma fonte, foi aprovada por unanimidade pelo conselho de administração da Vonage. No entanto, só deve ser finalizado no primeiro semestre de 2022, após o sinal verde dos acionistas da Vonage e a obtenção de aprovações regulatórias.


Logo_Ericsson

Parceria ganha-ganha

Em detalhes, a Ericsson vai recomprar todas as ações da empresa americana, a US$ 21 por ação. O sueco usará seus recursos de caixa existentes neste contexto. “Acreditamos que ingressar na Ericsson é do melhor interesse de nossos acionistas e é uma prova da posição de liderança da Vonage em comunicações corporativas em nuvem, nosso portfólio de produtos inovadores e nossa equipe excepcional.” explicou o CEO da Vonage.

Por sua parte, Börje Ekholm, presidente e CEO da Ericsson, disse: “O núcleo de nossa estratégia é construir redes móveis líderes por meio de nossa liderança em tecnologia… A aquisição da Vonage é o próximo passo para alcançar essa prioridade estratégica. A Vonage nos oferece uma plataforma para ajudar nossos clientes a monetizar investimentos em rede para o benefício de desenvolvedores e empresas. »

Ekholm também destacou que a aquisição permitiria que sua empresa se expandisse globalmente no segmento de wireless corporativo. Recorde-se que numa perspectiva semelhante a Ericsson adquiriu no ano passado o fornecedor americano de soluções de rede wireless Edge, Cradlepoint. A compra lhe custou US$ 1 bilhão.

O que será de Vonage?

Uma vez concluída, a Vonage se tornará uma subsidiária da Ericsson. Manterá seus 2.000 funcionários, bem como seu nome. No entanto, Rory Read, seu CEO, se juntará à administração da Ericsson e, portanto, reportará a Börje Ekholm.

A aquisição da Vonage é o negócio mais caro da Ericsson até hoje; na verdade, destrona a aquisição da Redback Networks (US$ 1,9 bilhão) em 2006. Esse investimento colossal não deve, no entanto, preocupar a Ericsson, que espera reduzir custos assim que a transação for concluída.

Artigos Relacionados

Back to top button