Ele inventou um método para detectar água potável

Alain Gachet é um geólogo francês. Ele é um engenheiro de minas que trabalhou como garimpeiro para a Elf Aquitaine no Mar do Norte. Ele então se tornou um hidrogeólogo. Com 65 anos, o cientista trabalha para a Unesco para monitorar o estado de superfícies gigantes e profundas no norte do Iraque. Por acaso, ele descobriu um gigantesco vazamento subterrâneo de água no deserto da Líbia.

Ele então desenvolveu um método de alta tecnologia que é usado para detectar água em aquíferos. São rochas porosas cuja profundidade pode chegar a 80 a 100 metros. Essas rochas são impregnadas, como esponjas, com água de qualidade.

Água

Para desenvolver sua técnica, o hidrogeólogo cruzou imagens de radar de satélite com dados geológicos. O experimento foi um sucesso. Ele é particularmente conhecido por ter descoberto em 2013 no Quênia um aquífero de duzentos bilhões de metros cúbicos de água.

Uma técnica baseada em algoritmos

A fascinante história desta geóloga a serviço da humanidade é contada por Sylvie Boulloud e Nathalie Picot em um documentário. A reportagem foi transmitida na última quarta-feira na France 5 e está disponível em repetir neste endereço por mais três dias.

Alain Gachet é considerado um dos maiores inventores de 2016 pela Fundação Espacial. O método que ele usou é único e provou ser extremamente eficaz.

Nada de surpreendente nisso, porque essa técnica é amplamente automatizada e, portanto, baseia-se em trabalhar em algoritmos que ele mesmo projetou.

Sua abordagem levou tempo para ser reconhecida por cientistas de grandes institutos. As agências humanitárias sentiram a mesma indiferença pelo seu trabalho. Geólogos do US Geological Survey são os únicos que endossaram seu método.

Depois de testá-lo, eles também o validaram, concedendo uma taxa de sucesso excepcional de 98%.

Uma promessa de paz e desenvolvimento

Essa técnica é impressionante, com certeza, mas também pode ser muito útil em regiões do mundo em conflito.

No mundo, ainda existem milhões de pessoas que não têm acesso direto à água potável. O ouro azul pode, portanto, representar um verdadeiro meio de pressão sobre as populações mais ociosas. Essa técnica pode, portanto, salvar vidas, mas também permitir que as nações encontrem a paz ou mesmo se reconstruam.

A água potável é, de fato, um elemento fundamental na economia dos países. Sem ele, é impossível desenvolver plantações ou pecuária. O método imaginado por este geólogo excepcional é, portanto, uma verdadeira mensagem de esperança dirigida aos mais pobres de nós.

Artigos Relacionados

Back to top button