Dietas pobres e mais mortíferas do que fumar: estes são os alimentos para cortar

Dietas pobres e mais mortíferas do que fumar: estes são os alimentos para cortar

Fumar, falta de exercício, não dormir o suficiente – esses são alguns dos fatores de estilo de vida conhecidos popularmente por afetar negativamente a saúde, mas nenhum deles se compara às ramificações de uma dieta pobre, de acordo com um novo estudo. Uma dieta pobre é “um assassino de oportunidades iguais”, de acordo com o autor principal do estudo, Dr. Ashkan Afshin, que afirmou que os riscos podem ser encontrados independentemente do sexo, idade e outros dados demográficos.

A pesquisa foi publicada recentemente em uma revista médica e envolveu uma análise realizada por mais de 130 cientistas em quase 40 países. O estudo constatou que dietas pobres estavam atrás de 22% de todas as mortes de adultos em 2017 (10,9 milhões) – a doença cardiovascular foi a causa principal, com câncer e diabetes sendo o próximo da fila.

Além das mortes, o estudo constatou que dietas ruins eram responsáveis ​​por 255 milhões de DALYs – anos de vida ajustados por incapacidade. Os pesquisadores explicaram que este é o número coletivo de anos que as pessoas passam a viver com deficiências diretamente ligadas a dietas precárias e o número de anos perdidos devido a mortes precoces associadas a uma alimentação pobre.

No geral, a má alimentação está por trás de 16% dos DALYs adultos em todo o mundo. Deixando de lado as variações nas dietas ruins, o estudo aponta para três fatores alimentares que contribuíram muito para a morte e os DALYs relacionados à dieta: alta ingestão de sódio, baixo consumo de grãos integrais e baixas quantidades de frutas na dieta. Outros hábitos alimentares arriscados incluem alto consumo de carne vermelha, ingestão de grandes quantidades de carnes processadas, ácidos graxos trans e bebidas açucaradas.

As descobertas indicam que o público em geral se beneficiaria de uma dieta que diminua o consumo de bebidas açucaradas, alimentos processados, carne vermelha e produtos com alto teor de sódio, substituindo essas substâncias por frutas e legumes, nozes e sementes, proteínas de origem vegetal e grãos integrais.

0 Shares