Criando horror social em um vizinho secreto, disponível hoje com o jogo Xbox …

Quando lançamos Olá, vizinho no Xbox One, em 2017, o maior recurso solicitado pelos fãs era a capacidade de jogar como o vizinho assustador. A premissa do jogo de esgueirar-se para a casa assustadora do vizinho do lado se prestava perfeitamente a essa ideia, e passamos dois anos transformando essa ideia em um jogo completo. E fomos um pouco além disso.

No Vizinho Secreto, um grupo de amigos está tentando entrar no porão do vizinho assustador. Até seis jogadores trabalham juntos, percorrendo uma casa bizarra cheia de armadilhas, itens espalhados, ovos de páscoa e chaves do porão enquanto tentam abrir a porta. O único problema é que um dos jogadores é um traidor disfarçado – é o Vizinho Secreto.

Toda a equipe sempre esteve em jogos de tabuleiro. Adoramos jogar jogos sociais como Lobisomem onde a jogabilidade vem da engenharia social real, lendo as reações das pessoas, a estratégia e, finalmente, a traição.

Então começamos a prototipar o que acabaria se tornando Vizinho Secreto – teríamos testes para seis jogadores, durante os quais um dos jogadores teria a agenda final de trair todos, e socialmente se transformaria em confiança, pois eliminariam jogadores um a um sem conhecimento. A ferramenta principal é o bate-papo por voz. Quase instantaneamente, soubemos que havia algo de especial no loop principal. Em um protótipo inicial, um dos jogadores foi eliminado mais cedo, e todo o grupo suspeitou de três jogadores que estavam por perto. A sessão inteira parou para uma investigação no estilo de detetive: descobrir quem estava onde e em quem o grupo podia confiar. Eu estava liderando aquela sessão de detetive, transferindo a culpa entre alguns outros jogadores. O problema era que eu era o traidor. E de alguma forma eu convenci o grupo inteiro a eliminar um jogador que não era o vizinho, apenas a rir.

Vizinho Secreto

É um jogo de terror social em sua essência. Existem elementos reais do “jogo de terror” em que você teria sustos, armadilhas e muito mais – o horror real vem da interação social real com seus (possíveis) amigos e sabendo que você não pode confiar em ninguém ao seu redor.

Com a jogabilidade principal concluída, partimos para a produção – descobrindo como fazer o jogo variar o suficiente para a repetibilidade, mantendo-o sempre atualizado. O maior desafio foi impedir que o Vizinho imediatamente retirasse a máscara e jogasse Rambo com outros jogadores, enquanto eles também não podiam rapidamente obter todas as chaves espalhadas pela casa e vencer. Testes anteriores mostraram que todos adoram o loop principal e, após 4-5 partidas, descobrem o caminho ideal para vasculhar a casa, não deixando ao jogador vizinho muito espaço para montar armadilhas e ganhar confiança.

Vizinho Secreto

A primeira coisa que fizemos foi adicionar paredes aleatórias na casa. Algumas portas são permanentemente fechadas durante a partida, forçando os jogadores a usar rotas alternativas. O segundo foi adicionar mais itens para o vizinho, por exemplo, uma bomba de fumaça ou a capacidade de se transformar em qualquer objeto. Isso mudou a balança a favor do vizinho.

A iteração número três girou em torno da progressão no meio da partida. Adicionamos classes de jogadores, permitindo diferentes estilos de jogo – e um sistema de progressão para o vizinho. Na versão de lançamento do Secret Neighbour, o Vizinho precisa subir de nível e explorar a casa com todos os outros jogadores – e faz sentido que ele entre no modo de ataque apenas quando atingir um determinado nível. Tudo isso está acontecendo enquanto a casa está trancada logicamente com as portas do cartão, para que os jogadores explorem a casa em busca de itens e as preciosas chaves do porão. O vizinho faz o mesmo, procurando por seus próprios itens especiais que aumentam suas habilidades. O resultado final são partidas muito imprevisíveis, nas quais você não sabe quando o primeiro confronto acontecerá.

Vizinho Secreto

Imagine um jogador vizinho escolhendo entre conjuntos de habilidades, como jogar bombas de fumaça, transformar-se em abóboras assustadoras (com bigodes!), Colocar armadilhas de urso e muito mais – o meu favorito é o som satisfatório de uma armadilha de urso pegando alguém. E os gritos dos jogadores pegos quando percebem que estão prestes a entrar no modo espectador!

A parte mais assustadora do trabalho em projetos como Olá, vizinho e Vizinho Secreto é que estamos fazendo algo diferente. O Social Horror não foi feito dessa maneira antes, e eu estou animado e aterrorizado ao ver as pessoas tocarem hoje, a partir de 24 de outubro, quando Vizinho Secreto é lançado no Xbox One e com o Xbox Game Pass!

0 Shares