Covid-19 também significa mais pobreza no mundo

Um ano em que o Coronavírus COVID-19 está causando estragos em todo o mundo: o vírus matou milhões de pessoas em todo o mundo, mas não só! Em apenas alguns meses, a pandemia também causou a ruína de muitas empresas, negócios e indivíduos.

O COVID-19, portanto, empurrou ainda mais pessoas e suas famílias para a pobreza. Como a ONU explica em um comunicado de imprensa: “Aqueles que já viviam no fio da navalha foram duramente atingidos e desproporcionalmente pelo aumento dos preços dos alimentos, queda da renda, interrupção dos programas de imunização e fechamento de escolas. »

Créditos Pixabay

Com efeito, de acordo com os últimos dados comunicados pela ONU, existem hoje cerca de 235 milhões de pessoas no mundo que dependem quase totalmente da ajuda humanitária. Este é um número real recorde de acordo com a organização com um aumento de 40% em relação aos planos de ajuda humanitária coordenados pela organização há um ano!

Um apelo humanitário de 35 bilhões de dólares

Para poder ajudar todas essas pessoas necessitadas, a ONU lançou um apelo humanitário na terça-feira 1er em dezembro passado: estamos falando de um recorde real, porque de acordo com as primeiras estimativas da organização, seriam necessários pelo menos 35 bilhões de dólares (cerca de 29 bilhões de euros) para cobrir todas as necessidades das vítimas financeiras da pandemia de Coronavírus.

“A imagem que apresentamos é a mais sombria que já apresentamos em termos de futuras necessidades humanitárias”, lamentou Mark Lowcock, chefe de assuntos humanitários da ONU, durante uma entrevista coletiva. A situação é ainda mais preocupante, porque a organização também prevê a chegada de “múltiplas fomes”.

E ainda não está pronto para ser finalizado de acordo com a ONU!

A ONU disse que até o final do ano, a fome pode afetar mais de 270 milhões de pessoas em todo o mundo. Esta é uma notícia muito preocupante, pois esse número é de fato 82% maior do que o registrado antes da chegada do COVID-19.

Enquanto isso, António Guterres, Secretário-Geral das Nações Unidas, disse que “Os orçamentos de ajuda humanitária enfrentam graves déficits à medida que o impacto da pandemia global continua a piorar. “Juntos, devemos mobilizar recursos e mostrar solidariedade com as pessoas que estão passando por tempos muito sombrios”acrescentou, pedindo não só donativos, mas também apoio às vítimas em dificuldade.

Resta saber se a ONU conseguirá arrecadar 35 bilhões de dólares até 2021, quando sabemos que este ano, a organização só conseguiu arrecadar 17 bilhões de dólares dos 29 bilhões previstos.

Artigos Relacionados

Back to top button